15 de novembro de 2012

Paraíba Urgente entrevista o elaborador do projeto do CERISAP-JP




O portal Paraíba Urgente, entrevistou, com exclusividade, o responsável pela elaboração do projeto do CERISAP (Centro de Reabilitação Integrado em Saúde e Apoio Psicopedagógico, de João Pessoa), o Antônio Vieira, popularmente conhecido por Tony.
Confira a entrevista:
PARAÍBA URGENTE: o que é o CERISAP?
TONY: CERISAP – Centro de Reabilitação Integrado em Saúde e Apoio Psicopedagógico.
É uma Instituição Filantrópica em Saúde Comunitária – ONG (Já prontinha para se tornar uma OSCIP, que é uma ONG dentro dos padrões da Lei vigente, que preza pela Ética e Transparência em todas as suas Ações Administrativas/Sociais/Fiscais e Financeiras).
Atenderemos GRATUITAMENTE:
Crianças, Adolescentes, Gestantes, Adultos, Idosos, Pessoas Especiais e/ou com Mobilidade Reduzida (Sequelados por acidentes).
PARAÍBA URGENTE: como funcionará os atendimentos?
TONY: atenderemos com consultas Pré-AGENDADAS, em Reabilitações de Média e Alta complexidade, em uma Sede Pólo, de Segunda a Sexta, das 07h30 ás 17h30.
Bem, estamos em fase final de implantação deste Projeto Socialem Saúde Comunitária.
PARAÍBA URGENTE: quem serão os beneficiados com o CERISAP?
TONY: os beneficiados serão todas as famílias carentes da grande João Pessoa, e também apta a receber pessoas de cidades vizinhas, onde serão disponibilizados atendimentos específicos, para tratamento e Reabilitação, sejam elas em média e alta complexidade.
Já temos uma equipe com 40 Profissionais, em diversas áreas de Saúde como:
  • Assistentes Sociais;
  • Psicólogos;
  • Fisioterapeutas;
  • Fonoaudiólogos;
  • Nutricionistas;
  • Pedagogos (Formados);
  • Psicopedagogos;
  • Terapeuta Ocupacional;
  • Educadores      Físicos (Voltados para a 3ª idade/Idosos carentes, como também para      Adultos);
  • Professoras      de Artesanato (Para as oficinas artesanais de inclusão do Paciente/sua      Família, podendo gerar renda para os mesmo, ajudando-os em seu sustento);
  • Pedagogo em Artes      (Formado pela UFPB), para Terapias artísticas, levando a arte como      instrumento de ressocialização para as crianças, adolescentes e adultos;
  • Enfermeira (Voltada para o campo      Social);
  • Médicos: Psiquiatra, Neurologista,      Reumatologista e Ortopedista;
  • E uma equipe de Apoio Administrativo.
PARAÍBA URGENTE: quais os dias e horários de atendimento?
TONY: não queremos ser apenas mais uma, mais sim, uma Unidade de ajuda diferente de muitas, queremos atuar diretamente, com ações reais e constantes e será disponibilizado um Pólo para atendimentos de Seg. à Sexta, das 07h30 ás 17h30.
E nos Fins de Semanas, levaremos nosso trabalho com Ações Sociais Externas, para diversos Bairros da grande João Pessoa (Todo Fim de Semana em um bairro diferente), através de parcerias que buscaremos fazer, visando viabilizar este conjunto de Ações.
PARAÍBA URGENTE: como o projeto foi apresentado?
TONY: o Projeto foi apresentado, por um Deputado Federal de João Pessoa, já que o mesmo levou pessoalmente o Projeto para apreciação em Brasília-DF, na qual, foi aprovadíssimo, com Louvor e sem Ressalvas (Sem erros), pelo conjunto de Ações, e por estar dentro do que rege as Leis do 3° Setor (Ong’s e OSCIP’s), pela lisura a que se propõe, com total Transparência ADM/FINANCEIRA/Fiscal, que será imposta e colocada em prática de forma imediata.
Sendo considerado um Projeto a nível Nacional, podendo ser implantado em qualquer lugar do país, e foi aprovado, podendo captar convênios e recursos Federais. É nosso, é 100% Paraibano. Está pronto para implantação e funcionamento.
Obs. Porém, o que mais me deixou chateado, foi à falta de compromisso que nossos Parlamentares/Políticos locais (Alguns que já tiveram acesso ao a leitura do Projeto) têm com o Povo carente, não se movem, acredito eu, que esta inércia esteja ligada com o descaso, com a mais profunda falta de humildade com o semelhante carente, falta de humanidade, etc., porque este Projeto poderá dar uma ajuda importante nos Problemas da Saúde como uns todos, como podemos perceber claramente, indo aos Postos de Saúde nos Bairros, e nos Hospitais espalhados pela cidade, onde faltam Profissionais específicas, como: Nutricionista, Fisioterapeutas, Fonoaudiólogos, Terapeuta Ocupacional, etc.
PARAÍBA URGENTE: quais os benefícios que a CERISAP trará para os bairros?
TONY:
COMÉRCIO LOCAL
O Projeto visa ajudar o comércio local do bairro onde será implantado, porque buscaremos parcerias entre a CERISAP – Centro de Reabilitação Integrado em Saúde e Apoio Psicopedagógico.
Vamos reunir os pequenos e grandes comerciantes do bairro, e sugerir a todos, que dêem descontos para os pacientes assistidos, em troca terão muito mais vendas em seus negócios, com a procura pela promoção, e movimentando o comercio local do bairro, todos crescem, haja vista, que a demanda de paciente na CERISAP, será enorme, o nosso Centro de Reabilitação, estimamos que possamos ter uma demanda com cerca de 12.000 pessoas/ por ano, (podendo este número aumentar, conforme forem chegando os recursos de convênios formulados, para a ampliação de toda a estrutura do Projeto da CERISAP).
GERANDO EMPREGOS DIRETOS
Além disso, gera empregos diretos, com carteira assinada, tudo dentro da Lei trabalhista,falamos em 40 Profissionais, pais de Família, que trabalharão, para dar condições dignas de um atendimento ao paciente, com: profissionalismo, dedicação, respeito e dignidade a todos.
Já iniciamos contatos com algumas Instituições de Ensino Superior/Faculdades em João Pessoa, buscando futuras parcerias, proporcionando aos seus alunos, Estágios supervisionados, nas diversas áreas em que atuaremos.
VÁRIOS PROFISSIONAIS ATENDENDO EM UM SÓ LOCAL.
Todos os Profissionais de Saúde necessários para uma completa Reabilitação, e de forma GRATUITA para os pacientes, e reunidos num só local, isso evita gastos com vários transportes, indo de um lugar a outro, para marcar consultas e retornar posteriormente, ou tempo perdido com os constantes deslocamentos excessivos, em busca de locais para seus tratamentos (Uma peregrinação constante hoje em dia).
COMO ATENDEREMOS O PACIENTE?
Será feito inicialmente uma triagem, e sendo detectado algum tipo de problema o paciente será encaminhado (a) para o Profissional competente ao seu caso, e após avaliação clínica do Profissional, será agendado o (s) dia (s) de atendimento (s) a este paciente, até sua total Reabilitação.
Obs: Atendendo os pacientes por Agendamentos, evitam-se tumultos no local, gastos desnecessários com passagens e tempo de espera. Buscamos um atendimento  humanizado, com ética, respeito e profissionalismo.
CRIAÇÃO DO CENTRO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO
Será destinado ao atendimento de alunos com dificuldades de Aprendizagem escolar,super ativos, com problemas de relacionamento em Família/em Sala de Aula e/ou com seus Professores. Será oferecido todo um acompanhamento deste Aluno, com uma equipe composta por: Pedagogo, Psicopedagogo, Terapeuta Ocupacional, Psicólogo, outros Profissionais que se fizerem necessários, buscando tratar e Reabilitar o Aluno/paciente, para sua ressocialização seja na Escola, na Família, ouem sua Comunidade. Reabilitações assim, ajudam o Aluno como cidadão, ajuda a Escola em sua formação, ajuda a Família no trato do dia a dia, enfim, o paciente poderá compreender e valorizar a relação com as outras pessoas, como forma de ressocialização e respeito mutuo, para um futuro melhor na sua vida. Acredito que não temos muitos Centros de Apoio Pedagógicos como estes, disponíveis para pessoas carentesem nossa Cidade.
Obs: Não devemos desistir de nossos filhos, jamais, e sim, procurar ajuda quando necessário, permitindo-lhe uma melhor qualidade de vida.
INCLUSÃO SOCIAL DA FAMÍLIA, E UMA GERAÇÃO DE RENDA
Além de atender o paciente, a CERISAP Saúde Comunitária, dará acompanhará a Família do paciente, dando-lhes atenção especial, trazendo-os para a nossa Instituição, onde participarão de reuniões, palestras, etc., onde serão DEVIDAMENTE orientados, e caso necessitem, poderão ser encaminhados para buscar alguma ajuda em diversos programas sociais do Governo. Poderão aprender uma atividade que lhes garantam uma renda extra, ajudando-os em seu sustento em casa, em uma das várias opções de Oficinas de Artesanato que iremos disponibilizar para as Famílias e os Pacientes atendidos, buscando sua ressocialização na Comunidade.
A CERISAP irá criar um Bazar quinzenal (Será debatido com todos), para que possam expor e vender as peças feitas por eles, dentro da própria Comunidade e/ou participando diretamente das Ações Sociais Externas pelos bairros nos Fins de Semana, expondo seus trabalhos, (INCLUSÃO SOCIAL direta). Ações assim, permitirá as Famílias carentes uma melhor qualidade de vida.
A EDUCAÇÃO, A ARTE E O ESPORTE COMO FERRAMENTAS FUNDAMENTAIS PARA SE BUSCAR/RESGATAR A ESTRUTURA FAMILIAR.
Através das Oficinas de Artes ou de Artesanatos, incentivos as práticas esportivas saudáveis, será possível ajudar no combate, a um “futuro” desvio de conduta, já que muitos jovens, que foram por um caminho ruim, não tenham tido reais opções em suas vidas, e vendo o descaso com suas Famílias, podem ter ajudado a esta desigualdade social, e acredito, tratando-os (A Família como um todo) de forma preventiva, poderemos dá uma resposta positiva junto a Sociedade, em busca de uma vida com mais dignidade e respeito.
CAMINHOS PARA NOVAS AÇÕES SEMELHANTES, POR PARTE DOS POLÍTICOS E GOVERNOS LOCAIS.
Com o conjunto de Ações que estamos aqui propondo para atuar num Bairro da Capital, e vendo resultados frutíferos no Projeto da CERISAP, esperamos que isso possa ser um espelho, para que os Parlamentares e os Governos locais (Vereadores, Deputados, Prefeito e Governador), possam de fato acordar para problemas graves como estes da Saúde, e que estão expostos diariamente em cada canto da nossa cidade. Precisamos lutar e defender com mais garra soluções reais, diretas e constantes, o que infelizmente até agora, as ações impostas por eles, estão além do esperado (funcionam por um tempo, e caem no descaso, como todos nós sabemos).
DIVULGAÇÕES SOCIAIS E CULTURAIS nos bairros
Divulgaremos todas as nossas Ações Sociais, levando ao conhecimento de toda a População, todo o trabalho Filantrópico da CERISAP, onde muitas vezes, as Famílias carentes, e sem planos de saúde, não possuem tantas opções para buscar um tratamento GRATUITO digno, para alguns de seus entes queridos, o que muitas vezes, causam revoltas dentro do eixo Familiar, gerando desgastes comportamentais em algum membro (podendo haver desvios de conduta), e esta é uma clara realidade nos dias de hoje, precisamos evitar isso, buscando mecanismos sociais, já que todos nós da Sociedade como um todo, temos um parcela nesta responsabilidade Social.
FINALIZANDO
Além dos Atendimentos em Saúde e Reabilitação, de palestras sócias educativas, Ações Sociais externas, encaminhamentos diretos para outros Centros de atendimentos mais específicos no Estado, caso necessitem, das Visitas Domiciliares, das Festas beneficentes realizadas pela Instituição, entre outras Ações que serão criadas posteriormente.
Este é um pouco do trabalho que estamos propondo, e como atuaremos em benefícios das Famílias de uma maneira geral.
Espero que vocês tenham entendido um pouco da proposta deste Projeto da CERISAP Saúde Comunitária.
PARAÍBA URGENTE: obrigado Tony e o espaço está aberto para que você possa fazer suas considerações finais.
TONY: queremos agradecer a essa importante oportunidade que o Paraíba Urgente está nos dando e dizer que a partir de Dezembro desse ano estaremos chegando com força total. Obrigado
CONTATOS:
Nome: Antônio Vieira (Tony) – Responsável pela elaboração do Projeto da CERISAP
Fone: (83) 8600-2225
E-mail pessoal: anthony.com.jp@hotmail.com
E-mail: cerisap@hotmail.com
Twitter: @Tonyjppb
Facebook 1: Cerisap Saúde Comunitária
Facebook 2: Cerisap Saúde Comunitaria (Sem acentuar a palavra Comunitaria).

Presídio Regional de Sapé recebe visita de membro do DEPEN.




   A direção do presídio regional de Sapé, recebeu a visita da Dr. Gisele Pereira Peres, coordenadora da comissão especial do DEPEN. Recepcionada pela direção daquela unidade a Dr. visitou todas as dependências daquele presídio na companhia do professor Marcone Amorim da gerência de ressocialização, juntamente com o diretor Silva Neto e outros membros da gerência de ressocialização da SEAP, onde a mesma conversou com reeducando e pôde observar que naquela casa existe um processo de ressocialização em execução, haja vista que a mesma pôde observar em loco, os reeducando trabalhando na reforma da unidade como também ouviu canções entoadas pelo grupo de louvor  "Ressocializando", formado por reeducando daquela unidade. 

      A Dr. disse estar muito satisfeita pelo que viu e ouviu naquela unidade, pois a motivação que a levou a visitar aquela unidade foi para conhecer pessoalmente aquilo que a imprensa nacional já havia noticiado. O professor Marcone Amorim disse "se sente muito bem ao chegar naquela casa, pois ali há um efetivo trabalho de ressocialização em andamento". 

    Um dos reeducando falou em nome de todos, Francisco Hélio disse da felicidade de poder receber a visita da Dr. Gisele e dos membros da gerência de ressocialização da SEAP, pois a referida gerência na pessoa da Dr. Ziza Maia e sua equipe, tem tratado a todos os reeducandos da Paraíba com respeito e dignidade, finalizou. O diretor, Silva Neto agradeceu a membros do DEPEN, e aos membros da gerência de ressocialização da SEAP, e disse  que os presídios da Paraíba foram transformados da água para o vinho, graças ao empenho do excelentíssimo governador Ricardo Coutinho, que veio para mudar não só os presídios, mais toda a Paraíba, pois no atual governo socialista todos os paraibanos tem a oportunidade de desempenhar as suas habilidades, a exemplo o que está acontecendo nesta casa prisional, finalizou o diretor. 

VEJAM AS FOTOS:




POSTADO POR GENILDO ALVES.

10 de novembro de 2012

NOTICIAS QUENTES AGORA NO BLOG FOCO PB


Voar fica mais caro na capital mineiraPreços de passagens aumentam em mais de 15%


 (EM/D.A/Press)
O preço da passagem aérea doméstica em Belo Horizonte está na contramão do resto do país. No Brasil houve recuo de 36% no valor nos últimos dez anos, segundo balanço da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Na capital, no entanto, houve aumento de 15,52% em outubro deste ano, depois de alta de 5,55% em setembro, segundo levantamento do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A tarifa aérea média doméstica foi de R$ 272,64 no primeiro semestre de 2012, valor 36,2% menor em relação ao mesmo período de 2002, quando ficou em R$ 427,16, segundo a Anac. Ainda de acordo com a Anac, o valor referente ao segundo trimestre de 2012, de R$ 258,59, teve redução de 6,2% se comparado ao mesmo período do ano passado.

A grande questão que surge é: o trabalho do governo de transformar o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, como hub (ponto de conexão) nacional, pode encarecer os preços das tarifas locais? O especialista em aviação Renato Cláudio Costa avalia que o fato de a capital estar “no meio do caminho” entre várias cidades, como Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, pode elevar os preços das passagens locais. 

“Quem quiser vir para Belo Horizonte pode acabar pagando mais, pois na verdade aqui será a cidade de passagem para outras”, diz . Há ainda outro fator que pode ajudar a encarecer os preços dos bilhetes aéreos na capital, avalia Costa. “O preço da passagem depende da oferta e demanda. Se o mercado está comprador, o preço sobe”, diz. Ele ressalta que o valor da passagem de avião é cobrada através de um mix tarifário que inclui de três a quatro preços de passagens. 

O aeroporto de Confins tem a seu favor a localização estratégica, o centro nacional de manutenção da Gol e a taxa competitiva do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o querosene de aviação. Algumas companhias aéreas já se movimentam para transferir voos de outros estados para Confins. A iniciativa aconteceu principalmente com a Gol, que reduziu voos em Brasília, com grandes chances de serem transferidos para Belo Horizonte.




Consumir exige boa performanceSeja qual for a sua característica, quando o assunto é comprar, consultores financeiros dizem que é preciso ter sabedoria tanto para juntar dinheiro quanto para desembolsá-lo


Guilherme Águido assume que gosta de comprar e já está de malas prontas para a Black Friday, nos EUA: 'Quando compro sinto um prazer indescritível' (EULER JÚNIOR/EM/D.A PRESS)
Guilherme Águido assume que gosta de comprar e já está de malas prontas para a Black Friday, nos EUA: "Quando compro sinto um prazer indescritível"
O advogado Guilherme Águido, de 27 anos, tem uma queda além do comum pelas compras. Em novembro, ele vai passar uma semana nos Estados Unidos. O que o levou a marcar a viagem foi uma liquidação, a Black Friday, que ocorre no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças e oferece descontos de até 90% nos mais variados segmentos do consumo. Águido planeja comprar roupas, celular e outros produtos. A passagem foi comprada num site de descontos. “Quando compro sinto um prazer indescritível”, reconhece. A dentista A. M. L., de 49, ao contrário, é tomada pela aflição se o assunto é gastar dinheiro. Em viagens internacionais com os amigos, recusa-se a comer nos restaurantes escolhidos por eles porque acha muito caro. Quando o marido a convida para ir ao cinema, calcula que gastará no mínimo R$ 50, e logo desanima. “Tento não economizar demais, mas não está em mim. Não tenho controle.” 

Guilherme e A. são consumidores opostos, entretanto, ambos devem enfrentar desafios nas compras, já que o Brasil será o quinto maior mercado consumidor do mundo em 2020, movimentando R$ 3,5 trilhões e superando economias como da França, Inglaterra e Itália, segundo o  estudo Perspectivas da economia brasileira, elaborado pelo Ministério da Fazenda. Para ter ideia, hoje, o país já lidera o ranking de consumo de perfumes e está em terceiro lugar quando os itens são computadores e geladeiras. “Já tive um cliente que juntou dinheiro a vida toda, chegando a R$ 5 milhões, a custo sacrifício total. Depois perdeu tudo ao entrar num negócio no qual não tinha experiência. Ele caiu em depressão”, afirma Erasmo Vieira, consultor de finanças. De acordo com ele, é preciso saber ganhar dinheiro, mas também é necessário saber gastar. “É preciso viver em paz com o dinheiro, ter sonhos e realizá-los, como por exemplo comprar imóveis, fazer uma viagem. Dinheiro foi feito para gastar. Mesmo quando se guarda para o futuro, alguém vai gastá-lo um dia.” 
Maria de Lourdes de Souza economiza 80% do salário: 'Construí uma casa de nove cômodos' (MARCOS VIEIRA/EM/D.A PRESS)
Maria de Lourdes de Souza economiza 80% do salário: "Construí uma casa de nove cômodos"

Não existem estatísticas seguras que indiquem qual o percentual da população brasileira ou mundial se enquadra na lista dos compradores compulsivos, mas estima-se que, em média, 3% da população sofra com o transtorno. Para os econômicos em excesso, definitivamente não há números. Mas todo mundo conhece um. Frederico Garcia, professor do Departamento de Psiquiatria e coordenador do Centro Regional de Referencias e Dependência da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), explica que em geral as pessoas que possuem avareza extrema têm personalidade obsessiva, caracterizada pela rigidez de pensamento. “Para elas, correr riscos gera uma ansiedade muito grande e a retenção vem para evitar a ansiedade oriunda do medo de perder o controle”, explica. Já os dependentes de compras sofrem de ansiedade de maneira constante e ficam mais tranquilos quando gastam. “Essas pessoas gostam de correr riscos, de investir, de ver o que vai dar e de satisfazerem a si mesmas.” 

Sem significado
Ainda que adotem atitudes opostas no que se refere à forma de lidar com o dinheiro, o advogado e a dentista têm algo em comum: uma relação patológica com a propriedade, já que os produtos que o gastador compulsivo acumula, muitas vezes sem sequer usar, e o dinheiro que o poupador doentio deixa de gastar acabam caindo na mesma falta de significado. L.U.G., de 55, já foi empresário bem-sucedido, mas acabou perdendo tudo e hoje está desempregado. Com dois filhos em idade escolar, mensalidades do colégio sempre atrasadas e dívidas com amigos, parentes e amigos de parentes, vendeu tudo o que tinha, inclusive os cristais e as roupas de cama de sua casa. Hoje, vive de bicos. Mesmo assim, quando recebeu um dinheiro extra, não hesitou em comprar uma cama de R$ 3 mil e continua não dispensando as roupas de marca.

Equilíbrio é possível 

A médica Naila diz que se reeducou financeiramente e conheceu 25 países (PAULO FILGUEIRAS/EM/D.A PRESS)
A médica Naila diz que se reeducou financeiramente e conheceu 25 países
Entre a gastança e a vida do Tio Patinhas, há um equilíbrio possível, mostra a experiência bem-sucedida de pessoas que viraram a mesa e assumiram o controle de suas finanças e os desafios de gastar de forma consciente. Foi o que ocorreu com a médica reumatologista Naila Trícia do Espírito Santo, de 37 anos, que, segundo ela, gastava de forma inconsciente, embora nunca tenha se considerado uma consumidora compulsiva. 

“Ganho bem, por isso nunca me endividei. Mas houve uma época em que trabalhava em sete empregos para dar conta de tudo o que consumia”, revela. Hoje, a situação mudou. Depois de fazer cursos na área, a médica ganhou mais uma profissão e passou a atuar também como educadora financeira. “Antes, só viajava para congressos, mesmo tendo sete empregos. Depois, mesmo trabalhando muito menos, já conheci 25 países”, comemora. 

A cuidadora de idosos Maria de Lourdes de Souza, de 58, é obsecada por poupar. Economiza cerca de 80% do salário a cada mês e só vai às compras em situações-limite, como ocorreu na quarta-feira, quando pisou pela segunda vez num shopping. “Construí uma casa de nove cômodos em Lafaiete e outra de cinco no lote da minha mãe, na roça. Sempre fui econômica. A vida me ensinou”, diz. Mesmo com uma poupança acumulada há 20 anos, ela abriu mão da academia porque acha a mensalidade de R$ 100 muito cara. “Penso que posso precisar desse dinheiro no futuro. Acho que vou começar a gastar quando me aposentar. Aí quero viajar e aproveitar a vida.” (ZF)