14 de julho de 2012

NOVAS VEJAM!


NA MIRA: Oito coligações e três partidos estão com candidaturas ameaçadas.








O Ministério Público Eleitoral (MPE) registrou, ontem, pedido de impugnação de oito coligações proporcionais e três partidos de João Pessoa por não garantirem 30% das vagas para serem preenchidas por mulheres. Além disso, dois candidatos a vereador também foram alvo do MPE e tiveram ações de impugnação registradas por figurarem na lista do Tribunal de Contas da Paraíba (TCE) de nomes que tiveram contas rejeitadas.

Segundo o promotor Flávio Wanderley da Nóbrega, os candidatos a vereador na Capital, Marconi Paiva (PMDB), que já tinha um pedido de impugnação registrado contra ele, e Eduardo Paulino (Democratas) devem ser enquadrados na Lei da Ficha Limpa e, por isso, estariam inelegíveis para as eleições municipais deste ano. Além deles, o MP também partiu para cima de 11 coligações. “Estas coligações e partidos não se adequaram à legislação em relação à quantidade de mulheres candidatas. É preciso preencher os quadros com 70% dos candidatos de um sexo e 30% do sexo oposto”, explicou.

Segundo ele, os partidos terão um período para se adequar à legislação. “Eles terão um período para isso, mas caso não se adequem, estarão impugnados todos os candidatos da coligação. Um dos partidos, o PSTU, já veio aqui hoje e se adequou, então não pedimos a impugnação dos candidatos do partido”, disse.

As coligações que terão que tiveram pedidos de impugnação foram: ‘Unidos por João Pessoa I’ (PT e PPS); ‘Unidos por João Pessoa II’(PSC e PRB); ‘João Pessoa mais feliz II’ (PMN, PTC e PPL); ‘João Pessoa do futuro’ (PRTB e PHS); Por amor a João Pessoa sempre I’ (PSDB, PPN e PSDC); ‘Por amor a João Pessoa sempre III’ (PSL e PT do B); ‘Pra seguir em frente I’ (PSB e PDT); Pra seguir em frente IV’ (PC do B e PV); Partido Socialista Cristão (PSC); Partido da Causa Operária (PCO) e Partido Socialismo e Liberdade (Psol).

Flávio Wanderley disse que a coligação Pra seguir em frente IV’ (PC do B e PV) além de não respeitar a cota de candidatos por sexo, também ultrapassou a quantidade de candidatos permitida. “Eles podiam registrar 54 candidaturas, mas registraram 55”, afirmou. O prazo para impugnação de candidaturas em João Pessoa se encerrou às 19h de ontem.

De acordo com o calendário eleitoral, dia 5 de agosto é a data em que todos os pedidos originários de registro, inclusive os impugnados, deverão estar julgados e publicadas as respectivas decisões perante o juízo eleitoral.




Quem apanha na infância tende a resolver problemas com violência.








A exposição à violência durante a infância pode trazer consequências para a vida adulta, segundo estudo do Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da Universidade de São Paulo (USP). De acordo com a pesquisa, quem sofre agressões quando criança tem mais chances de adotar a violência como principal mecanismo de solução de conflitos.

“A criança entende que a violência é uma opção legítima e vai usá-la quando tiver um conflito com colegas da escola, por exemplo. Mas, ao agredir, ela também pode sofrer agressão e se tornar vítima. E isso cresce de forma exponencial ao longo da vida”, disse Nancy Cardia, vice-coordenadora do NEV.

Os pesquisadores entrevistaram 4 mil pessoas maiores de 16 anos de idade, moradoras de 11 capitais brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Recife, Belém, Manaus, Porto Velho, Fortaleza e Goiânia). Os questionários foram aplicados pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) em 2010. De acordo com os resultados, mais de 70% dos entrevistados apanharam na infância, sendo que 20% do total eram agredidos uma vez por semana ou mais.

O estudo apontou ainda o aumento das chances de a pessoa reproduzir a violência sofrida no passado contra os próprios filhos, como método de educação. “Isso tem a ver com o tipo de aprendizagem social. Você aprende que educar por meio da agressão física é um instrumento legítimo de educação”, disse Renato Alves, pesquisador do NEV. Assim, fecha-se um “um ciclo perverso do uso da força física”, como definem os pesquisadores.

Os resultados mostraram que os objetos usados com frequência nas punições físicas foram vara, cinto e pedaço de pau, itens mais comuns que a palmada. Embora o estudo não tenha tido o objetivo de orientar as famílias sobre a criação dos filhos, o pesquisador não acredita que aplicar castigos físicos nas crianças é o melhor método para educá-las.“Usar a punição física na educação dos filhos apresenta mais prejuízos que benefícios, tanto para a pessoa que sofre a punição quanto para a sociedade”, disse.

Renato Alves lembra, porém, que ter apanhado na infância não significa que o adulto será violento. “Tudo tem que ser olhado com muito cuidado, porque também tem muita influência do contexto em que a pessoa vive”, ponderou. De acordo com o pesquisador, o indivíduo que conhece, ao longo da vida, outros modelos de referência para lidar com conflitos pode aprender a enfrentar melhor essas situações.




EXCLUSIVO: parlamentar revela bastidores da decisão que entregou ‘de mão beijada’ apoio do PDT à Estelizabel na disputa pela prefeitura de JP.

EXCLUSIVO: parlamentar revela bastidores da decisão que entregou ‘de mão beijada’ apoio do PDT à Estelizabel na disputa pela prefeitura de JP





Em uma entrevista exclusiva, neste sábado (14), o vereador de João Pessoa, Geraldo Amorim (PDT) abriu a caixa preta e decidiu revelar os bastidores da decisão que entregou de ‘mão beijada’ o apoio do PDT à candidatura da ex-secretária Estelizabel Bezerra (PSB), na disputa pela Prefeitura de João Pessoa.

Inicialmente, Amorim revelou que o PDT recebeu convites para ser vice nas chapas do PT, do PMDB e até do PSDB, mas na ocasião, o partido rejeitou todas as propostas para se engajar numa candidatura própria, só que no meio do meio do caminho, a executiva aceitou apoiar o PSB, sem ao menos uma vaga de vice. “Jogamos fora a oportunidade de mostrarmos a nossa proposta, o nosso projeto e fomos para o PSB sem nada e isso me indigna. O partido tinha uma oportunidade de crescer, mas a direção abdicou de tudo isso para se acostar a um partido que não nos deu nenhuma visibilidade”, lamentou.

A decisão do PDT acabou ainda jogando por água abaixo os planos e a ideologia do vereador Geraldo Amorim, que havia se prontificado a disputar o cargo de prefeito na chapa do PDT, já que tem como convicção de que o mandato de um parlamentar deve ter data para começar e data para terminar. “Defendo a teoria de que o mandato parlamentar não é emprego publico e, portanto devemos exercê-lo por no máximo oito anos, já o do executivo, acredito que nem reeleição deveria haver”, destacou.

DISSIDÊNCIA

O vereador Geraldo Amorim ainda deixou claro que discordou do apoio do PDT ao PSB. “Como não sou candidato mais a nada este ano eu discordei, eu não tenho a obrigação de concordar, fui contra e agora eu me sinto no direito de reunir as lideranças que me apoiaram nos últimos dois mandatos e que me elegeram para decidirmos juntos, qual a melhor postulação a ser apoiada”.

FUTURO

O fato de não disputar um mandato eletivo no pleito deste ano não significa o abandono da vida pública. Geraldo Amorim destacou que a partir de agora vai batalhar por uma reforma política e ainda começar a construir uma estrada rumo a uma vaga na Câmara Federal em 2014.

“Não vou sair da política, vou encabeçar uma campanha por uma reforma política, pois os partidos que estão aí se m a siglas a serviço de pessoas para se locupletarem. Os diretórios municipais hoje não tem autonomia e a partir de agora vou defender a ideia de que os partidos não possam se coligar, ou seja, chegou à eleição, se você é partido, tem que apresentar sua opção e assim acaba com toda essa promiscuidade, de vender ou arrendar legendas que é o que vem acontecendo hoje”, desabafou.

Amorim, que sem nenhuma estrutura política abarcou mais de 20 mil votos na disputa por uma vaga a deputado federal, disse que nos próximos dois anos vai se engajar, realizando seminários e disseminando sua ideologia para tentar êxito no próximo pleito.

“Eu não estou condenando o PDT nem os outros partidos, estou apenas condenando o processo político que permitem certas nuances reprováveis em minha opinião e como cidadão, vou tentar mudar essa ideologia, vou realizar seminários e caminhar por toda essa Paraíba em um trabalho de conscientização. Os partidos não podem mais se coligar com outros que sequer tem ideologias semelhantes, isso tem que ser revisto”, defendeu.



AGRA SENADOR? - Prefeito admite que vai ‘começar a construir uma estrada’ para 2014.

AGRA SENADOR? - Prefeito admite que vai ‘começar a construir uma estrada’ para 2014
AGRA SENADOR? - Prefeito de João Pessoa faz mistério, mas admite pela 1ª vez que vai ‘começar a construir uma estrada’ mirando em 2014

O prefeito João Pessoa, Luciano Agra, ainda sem partido, admitiu, pela primeira vez, que quer permanecer na vida pública e que após o pleito de 2012 irá se preparar para o pleito de 2014. A revelação foi feita essa semana durante entrevista a uma emissora de TV local. Na ocasião, o ex-girassol disse que ao deixar a prefeitura em dezembro de 2012 vai sim “começar a construir uma estrada” para manter-se na política, de olho nas eleições de 2014, no entanto manteve o mistério sobre qual cargo poderá postular.


Até agora, as únicas experiências de Luciano Agra foram como vice-prefeito e prefeito. Em 2014, o ex-socialista poderá alçar voos bem maiores, disputando desde uma vaga na Assembleia Legislativa ou até mesmo uma postulação ao Senado Federal. Nos bastidores, a informação é de que já foi costurado um acordo entre os partidos que hoje formam o arco de aliança na disputa pela PMJP, porém, nenhum integrante da aliança fala abertamente sobre o assunto.


ESCOLHA DE CARTAXO


Agra declarou que estava tranqüilo com a decisão e satisfeito por ter escolhido Cartaxo. “Ele é leve e terá condições de não apenas dar continuidade a esse projeto, mas fazer com que a Capital dê um passo ainda mais largo”, declarou.

O prefeito explicou que não escolheu Nonato Bandeira por causa da “densidade política”. Segundo ele, apesar do “talento extremo”, Nonato ainda é um estreante em disputas eleitorais. “Cartaxo foi consenso”, disse.


RACHA COM RICARDO COUTINHO


Sem querer polemizar mais do que o normal com o governador Ricardo Coutinho, Agra afastou a tese de ter “usurpado” a prefeitura. “É um termo forte, usado apenas na época do Absolutismo. Acho que o governador, no íntimo, não queria dizer isso”, declarou.

Apesar de amenizar, teve peito pra dizer que deu, na sua gestão, um ritmo ainda maior ao projeto instalado na Capital. “No vigor do Empreender e da construção de casas e, principalmente, na valorização salarial dos servidores”, declarou.



 Inaugurada Escola Técnica de Saúde em Sapé.

O Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Educação (SEE) inaugura, nesta segunda-feira (16), às 10h, a Escola Técnica de Saúde em Sapé. O investimento é de R$ 886.017,61. A escola vai disponibilizar ensino médio e profissionalizante oferecendo cursos de Formação Técnica do Agente de Saúde, Curso Técnico em Saúde Bucal, além do Curso Técnico de Enfermagem, por meio de cooperação técnica com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).
A escola possui seis salas de aula, biblioteca, refeitório e laboratórios de informática, ciências e enfermagem e funcionará nos três turnos. Os cursos técnicos “Formação Técnica do Agente Comunitário de Saúde” – 1ª etapa e o “Curso Técnico em Saúde Bucal” serão operacionalizados pelo Centro Formador de Recursos Humanos (CEFOR-PB). Os dois cursos funcionarão a partir de agosto, beneficiando os trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS) da região.
O “Curso Técnico em Saúde Bucal” será ofertado para 35 trabalhadores do SUS, dos municípios de Sapé, Mari, Sobrado, Riachão do Poço e Cruz do Espírito Santo. Financiado com recursos do Programa de Formação de Profissionais de Nível Médio para a Saúde (Profaps), o curso terá 1.500 h/aula, com início previsto para agosto de 2012 e término em agosto de 2014. Por turma, o valor do investimento é estimado em R$ 110.875,00. O curso terá o objetivo de promover o desenvolvimento de conhecimentos, habilidades específicas e atitudes que favoreçam o entendimento da prática social do técnico em Saúde Bucal e sua inserção no âmbito do SUS.
Com carga horária de 400 h/aula, o Curso “Formação Técnica do Agente Comunitário de Saúde” – 1ª Etapa – será financiado com recursos do Bloco de Gestão SUS, com o valor total de R$ 810.602,00, beneficiando cerca de 1.400 Agentes Comunitários de Saúde (ACS), de 39 municípios. Em Sapé, serão formados 32 ACS. Com início previsto para agosto e término em dezembro de 2012.
A Secretaria de Estado da Educação (SEE) ofertará, na modalidade subsequente, o curso Técnico de Enfermagem, que terá 1.200 h/aula e início previsto para agosto de 2012 . Com investimento por turma no valor de R$ 180.875,00, o curso pretende capacitar técnicos em enfermagem para atuarem na promoção, prevenção, recuperação e reabilitação dos processos saúde–doença.
O técnico em enfermagem colabora com o atendimento das necessidades de saúde dos pacientes e comunidade, em todas as faixas etárias, promove ações de orientação e preparo do paciente para exames e realiza cuidados de enfermagem. O profissional ainda presta assistência de enfermagem a pacientes clínicos e cirúrgicos, com possibilidades de atuação em hospitais, clínicas e postos de saúde além de empresas e em domicílios. Outras informações podem ser obtidas na Escola, a partir de segunda-feira.

Romero sai na frente na primeira pesquisa sobre sucessão em Campina.

O deputado Romero Rodrigues (PSDB) assumiu a dianteira da disputa pela prefeitura de Campina Grande, de acordo com os números da primeira pesquisa eleitoral divulgada na campanha.
Os números foram divulgados pela Campina FM, com base em trabalho feito pelo instituto 6Sigma.
Na estimulada, Romero aparece com 23,9% das intenções de voto, seguido da deputada estadual Daniella Ribeiro (PP), com 22,3%, que vinha liderando na pré-campanha.
Para alguns, mesmo considerando o empate técnico, vez que a pesquisa aponta uma margem de erro de 2,9%, já se começa a notar o reflexo da presença do filho do poeta Ronaldo Cunha Lima, o advogado Ronaldo Cunha Lima Filho na chapa do tucano.
Em terceiro lugar, aparece a médica Tatiana Medeiros, do PMDB, apoiada pelo prefeito Veneziano Vital do Rego. Ele obteve 14,8% da preferência do eleitorado. O número de indecisos é de 11,7%.
O que mais chamou atenção, no entanto, foram os números da espontânea, onde Romero apresenta uma vantagem maior em relação a Daniella Ribeiro. O tucano tem 16% contra 12% da deputada.
Abaixo, confira os números.
Confira os números da pesquisa estimulada
- Romero Rodrigues – 23,9%
- Daniella Ribeiro – 22,3%
- Tatiana Medeiros – 14, 8%
- Guilherme Almeida – 5,9%
- Alexandre Almeida – 1,5%
- Sizenando Leal- 1,5%
- Artur Almeida – 1,1%
- Não sabe – 11, 7%
- Branco ou nulo – 9, 5%
- Não informou – 3,4%
- Nenhum dos candidatos – 4,3%
Resultado da pesquisa espontânea
- Romero Rodrigues – 16%
- Daniella Ribeiro – 12%
- Tatiana Medeiros – 9,5%
- Veneziano Vital do Rêgo – 5,3%
- Guilherme Almeida – 2,9%
- Cássio Cunha Lima- 2,7%
- Alexandre Almeida – 1,2%
- Sizenando Leal -1%
- Artur Almeida – 0,5%
- Ricardo Coutinho -0,2%
- Diogo Cunha Lima – 0,1%
- Fernando Carvalho – 0,1%
- Marlene Alves – 0,1%
- José Maranhão – 0,1%
Não sabem – 33,1%
- Branco e nulo – 7,9%
- Não informou – 2,6%
- Não votariam em nenhum candidato – 4,7%



PSB de Cabedelo move ação para impugnar candidatura de Luceninha.



Os advogados Ricardo Sérvulo (Coordenador Jurídico Estadual do PSB), Rafael Sedrim, Daniel Veiga e Gabriel Galvão, protocolaram junto à 57ª Zona Eleitoral, uma Ação de Impugnação de Registro de Candidatura (AIRC ) contra o candidato a prefeito de Cabedelo pelo PMDB, José Maria de Lucena Filho, mais conhecido como Luceninha.
Na ação, o PSB de Cabedelo diz que Luceninha incide em uma das causas de inelegibilidade em função de ter recebido uma condenação em uma ação que transitou em julgado em 22 de janeiro de 2010, perante a própria Justiça Eleitoral/TRE-PB.
Segundo a ação PSB, por Luceninha ter sido condenado pelo TRE-PB, ele está incluso na Lei Complementar 135/2010, a chamada Lei da Ficha Limpa.
Luceninha foi condenado pela Justiça Eleitoral por prática de conduta vedada (mesma condenação que levou o então governador Cássio Cunha Lima à cassação) nas eleições de 2008, quando perdeu a disputa pela Prefeitura de Cabedelo para o atual prefeito José Régis (PDT).
Na época, Luceninha era presidente da Câmara Municipal de Cabedelo e foi condenado por ter usado carros locados ao Poder Legislativo em favor de sua campanha.





























Nenhum comentário:

Postar um comentário