29 de julho de 2012

NOVAS DO FOCO PB VEJAM AS MATÉRIAS AGORA!


Damião Feliciano culpa Geraldo Amorim por PDT não ter candidatura.
















O deputado federal Damião Feliciano (PDT) culpou o vereador Geraldo Amorim (PDT) por causa da ausência do partido na majoritária em João Pessoa. Damião afirma que não tem culpa na retirada da candidatura de Amorim, afirma que foram os candidatos a vereador do partido que decidiram apoiar Estela (PSB) e cobra fidelidade do vereador. Ele afirma que o vereador não foi candidato porque não conseguiu sobressair nas pesquisas.

“Quem é voto vencido tem que se submete ao voto vencido , a maioria ganhou e achou que o melhor é Estela” , disse Damião sobre apoio de Amorim a Luciano Cartaxo (PT). O deputado afirma que não tem nada haver com o processo disciplinar que Amorim responde no conselho de ética do partido por apoiar Cartaxo, mas cobrou do vereador fidelidade ao entendimento do partido.

“Os vereadores não queriam, então o grande problema não fomos nós, foi a própria instituição partidária que quis Ficar com Estela”, argumentou Feliciano o apoio a candidata socialista.





Prefeitura de João Pessoa tira atendimento do Bolsa Família da FAC a partir de amanhã.
















O atendimento do Programa Bolsa Família da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), que vinha sendo realizado provisoriamente na Fundação de Ação Comunitária (FAC), em frente ao Sesc, no Centro, estará suspenso nesta segunda-feira (30), retornando na quarta-feira (1º) em novo endereço. Será na Rua D. Pedro I, 849, (em frente à sede da 2º Delegacia Distrital – 2º DD), também no Centro.

No mesmo endereço funcionarão o Programa de Apoio à Pessoa Idosa (Papi), o Programa Bolsa Universitária e o Núcleo de Acompanhamento da Frequência Escolar (Nafe), todos executados pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), por meio da Diretoria da Assistência Social.

A diretora da Assistência Social, Aparecida Rodrigues, informou que o atendimento do Bolsa Família retornará na quarta-feira com todos os serviços, inclusive a atualização cadastral, com o processo normal de agendamento. “O novo endereço permanente será numa casa ampla e arejada. Vem atender os anseios e esforços da Sedes em oferecer aos nossos usuários um local mais digno e um atendimento muito mais humanizado, conforme prometemos anteriormente”, destacou.

Serviços normalizados – Entre os serviços que estarão normalizados a partir desta quarta-feira estão a atualização cadastral, bloqueio, transferência, serviço social, ofícios encaminhados à Caixa Econômica Federal, mudança de responsável e Bolsa Universitária. Pelo Papi, voltam ao normal a expedição do Cartão do Idoso e a autorização de passagens intermunicipais e interestaduais para as pessoas da terceira idade.





Confira as metas dos candidatos para João Pessoa a partir de 2013 na PMJP.


Uma das novidades positivas da campanha eleitoral deste ano, além do esvaziamento da idéia de que as carreatas conquistam votos, é a obrigatoriedade da apresentação à Justiça Eleitoral de planos de governo por parte de quem vai disputar as prefeituras. Neste final de julho, portanto, quase todos já definiram metas e ações em documentos devidamente registrados como manda a legislação.

Quem não cumpriu a obrigação terá que se ajustar à a Lei n.º 12.034, de 29 de setembro 2009. Se não o fizer corre o risco de uma punição, o indeferimento do registro da candidatura. Os candidatos em falta serão notificados pelos respectivos juízes eleitorais, responsáveis pela análise do registro, para apresentar o programa de governo no prazo de 72 horas, após o recebimento da notificação, sob pena de ter o pedido de candidatura indeferido.

Lourdes e Radical - PSTU e PCO sem propostas

Dos sete candidatos que estão na disputa pela Prefeitura de João Pessoa, o maior colégio eleitoral do Estado, com 480.237 eleitores, apenas dois ainda não apresentaram o programa de governo à Justiça Eleitoral: Antônio Radical (PSTU) e Lourdes Sarmento (PCO).

Eles, a exemplo dos demais candidatos a prefeito que não juntaram programa no ato do registro, devem estar sendo notificados pelos juízes eleitorais para apresentarem o documento, sob pena de terem os registros indeferidos.

Os demais candidatos- Cícero Lucena (PSDB), Estelizabel Bezerra (PSB), Luciano Cartaxo (PT), José Maranhão (PMDB) e Renan Palmeira (PSOL), apresentaram seus programas

Entre os pontos em comum, eles defendem estão ações que visam a preparação da Capital para o futuro, especialmente na área de mobilidade urbana, com investimentos em transporte coletivo e implantação de vias exclusivas para ônibus.

Cícero Lucena - Gestão pública e transparente

De forma resumida, o candidato Cícero Lucena, denominou o programa de governo de “Compromisso com o Futuro – Por uma Cidade Planejada, Saudável, Acessível e Sustentável.

O candidato tucano a prefeito de João Pessoa apresenta a necessidade de uma gestão pública eficiente e transparente, participativa, compartilhada e comprometida com o futuro da cidade, que é uma das mais antigas do Brasil. Mobilidade urbana também faz parte do plano do candidato Cícero Lucena.

“A cidade de João Pessoa não apenas comporta, mas exige, urgente implantação de um Plano de Mobilidade Urbana, um Plano de Transporte e um conjunto de ações e obras que corrijam a completa desordem no trânsito e a degradação e invasão das calçadas; e que ampliem os investimentos no sistema viário e em transportes públicos eficientes, de preferência movidos a fontes energéticas limpas”, propõe.

A proposta do senador Cícero Lucena, disposta em uma lauda e meia, prevê também medidas a serem adotadas em áreas como educação, cultura, esporte e lazer, saúde, assistência social, empreendedorismo, inovação, abertura de oportunidades profissionalizantes para os jovens e desenvolvimento logístico e tecnológico, com ações integradas de planejamento, infraestrutura, mobilidade, acessibilidade e meio ambiente.

Luciano Cartaxo - Modernização da produção

O candidato Luciano Cartaxo denominou o programa de governo de “João Pessoa Seguindo em Frente: Preparando a Cidade para o Futuro”, com serviços públicos de qualidade, transparência e participação popular, em seis páginas.

“A carta-programa que apresentamos é resultado de um diálogo construído entre os partidos que compõe a coligação e a sociedade. Com propostas simples, diretas e realistas, sem abrir mão de nossos sonhos, de maneira a explicitar os ajustes e a qualificação necessária ao processo de desenvolvimento empreendido na cidade a partir de 2010, com avanços em diversas áreas”, ressaltou.

O programa de governo de Luciano Cartaxo desdobrará a modelagem administrativa que prima pela garantia dos direitos constitucionais dos cidadãos, cidadãs e da cidade, na parceria entre o governo e a sociedade e numa nova modalidade de governo voltada para a modernização da produção econômica e crescimento equitativo da renda, o fomento e ampliação de espaços de inclusão social, da preservação do meio ambiente.

De acordo com o petista, as diretrizes do programa de governo de se coligação se materializam em 13 idéias básicas, que conforme destacou se desdobrará em um conjunto de ações, dentre elas, melhorar a mobilidade urbana e a acessibilidade. “Nosso governo construirá políticas urbanas que procurem resgatar espaços públicos, baseando-se no conceito de transporte público de massa”, disse.

José Maranhão - Restauração da moralidade

O candidato José Maranhão apresentou seu programa de governo em 28 páginas, classificando as propostas como linhas básicas do programa administrativo que norteará suas ações à frente da Prefeitura de João Pessoa no período de 2013/2014, tendo como objetivo primeiro: uma vida mais feliz.

Maranhão assume o compromisso de empregar todos os esforços à frente da Prefeitura, visando à restauração da moralidade e à implantação de um modelo de gestão moderno e eficiente, sintonizado com a evolução da sociedade brasileira e com o atendimento dos problemas que afligem a capital paraibana.

“É hora de cuidar do futuro, de pensar grande, de planejar, de criar programas e projetos que não sejam apenas de um grupo de partidos, mas da cidade toda. Isso se faz com seriedade, com coragem, com competência, com experiência e com espírito inovador”, declarou.

Na proposta de governo o peemedebista apresenta princípios apresentados como inegociáveis e que segundo ele vão pautar suas ações, que são: moralidade, respeito à lei e ás instituições, zelo com o patrimônio público, orgulho de ser pessoense, entre outros.

A mobilidade urbana aprece no programa de José Maranhão entre as linhas de ação prioritária. Com proposta de incentivar o uso de transporte de massas, especialmente com investimento de transporte sobre trilhos e com a criação de corredores exclusivos para ônibus.

Modernização administrativa - Estelizabel Bezerra

A candidata Estelizabel Bezerra tem um programa de governo em 29 páginas com três eixos estruturantes que objetivam a execução de ações conjuntas de diversas secretariais e órgãos com a participação social.

A socialista ressalta a necessidade de continuação do processo amplo e sólido de transformação iniciado em 2005, que proporcionou uma mudança na forma de governar, apresentando resultados positivos no modelo de gestão, nos indicadores sociais, na modernização administrativa, no controle social e no planejamento urbano.

De acordo com Estelizabel, a construção da cidade socialmente mais justa passa pela ação de governo em promover o bem estar social, fortalecendo as políticas públicas que garantam o desenvolvimento humano e social. “Este projeto político visa à melhoria da qualidade de vida da população, a redução das desigualdades sociais, o fortalecimento da cidadania e o compromisso com o futuro”, destaca.

A candidata enfatiza que as proposta contempla as políticas de saúde, educação, assistência social, cultura, geração de emprego e renda, segurança alimentar e nutricional, lazer e esporte, assim como as políticas dirigidas a grupos identitários, que sofrem os efeitos da exclusão social.

Na área de mobilidade e acessibilidade, dentre as propostas apresentadas estão à implantação das recomendações do Plano Municipal de Mobilidade Sustentável, o sistema de corredores exclusivos para transporte coletivo de massa.

Renan Palmeira - Transporte de massa em JP

O candidato do PSOL, Renan Palmeira apresentou sua proposta de governo em quatro páginas. Enfatizando, no capítulo destinado aos princípios gerais, que todos os atos de governo deverão ter como norte a busca da igualdade social e a garantia da dignidade da pessoa humana.

Palmeira também enfatiza que o interesse público deve ser colocado acima de qualquer interesse privado ou particular. Além disso, que os serviços públicos devem ser executados por servidores públicos concursados, sem terceirização e sem precarização do trabalho na administração pública.

Dentre as propostas específicas apresentada pelo PSOL, estão a realização de uma reforma político-administrativa com a finalidade de colocar a administração pública sob o controle da maioria da população, através de variados mecanismo de participação e decisão popular.

Na área de transporte público, entre as propostas aparesentadas por Renan Palmeira está à implantação de um sistema de transporte de massa sobre trilhos, com conforto, segurança e rapidez, capaz de atrair para o uso diário os proprietários de veículos particulares, como forma de desafogar as vias públicas e democratizar o acesso, não apenas no centro, mas em toda cidade.




Apenas 18 carros estão autorizados a fazer campanha eleitoral em JP.












A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), continua emitindo as autorizações e licenças ambientais para carros de som durante este período eleitoral. Para os donos de carros que vão trabalhar somente durante as eleições, são concedidas autorizações. Já no caso dos carros que continuarão fazendo propaganda depois do período eleitoral, são concedidas licenças ambientais.

Até o momento, já foram concedidas 18 autorizações ambientais provisórias (com validade até o final do segundo turno), para veículos de propaganda como mini-trios, trios, reboques, carros de passeio e motocicletas.

A Semam só concede a autorização depois que os veículos passam pela vistoria do Detran. Não são concedidas autorizações para carros de passeio com som nos porta-malas. As autorizações são liberadas em até sete dias após a pessoa dar entrada com o processo na Prefeitura. O expediente para atendimento ao público na Semam é das 14h às 18h, no Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria.

Documentação – Para dar entrada na licença ou autorização ambiental, os proprietários dos carros de som precisam providenciar os seguintes documentos: Carteira de Identidade ou outro documento de identificação com foto; requerimento e cadastro preenchidos (devem ser solicitados na Semam), além de cópia do DUT do veículo, contendo as especificações do Detran (quando não tiver especificações, o proprietário deve levar a cópia do documento da vistoria do Detran, contendo foto do veículo, do equipamento de som e da placa, assinados pelo Detran).

No caso das motocicletas, deve ser apresentado também o Certificado de Segurança Veicular (CSV). Se o solicitante da licença não for o proprietário, é preciso anexar ao processo o contrato de locação ou o documento de compra e venda do veículo.




João Pessoa tem apenas uma candidatura a prefeito deferida.


Das sete candidaturas que disputam a prefeitura de João Pessoa nas eleições de outubro apenas uma teve o registro deferido pela Justiça Eleitoral. Trata-se da candidatura de Antônio Radical (PSTU). Ainda aguardam julgamento as candidaturas de José Maranhão (PMDB), Cícero Lucena (PSDB), Estelizabel Bezerra (PSB), Luciano Cartaxo (PT), Lourdes Sarmento (PCO) e Renan Palmeira (PSOL).

O juiz Fabiano Moura de Moura, da 64ª Zona Eleitoral, terá de decidir a situação do PSC, que aparece em duas coligações: a de Cícero Lucena e a de Luciano Cartaxo. Por não poder fazer parte de duas composições, o juiz deverá indeferir uma dessas candidaturas, a exemplo do que aconteceu em Campina Grande, com o PT, que acabou prejudicando a candidatura de Daniela Ribeiro (PP).

Em João Pessoa, o PSC municipal fez aliança com o PSDB, indicando o médico Ítalo Kumamoto como vice de Cícero Lucena. Por sua vez, o diretório estadual do partido se coligou com o PT, que tem como candidato a prefeito o deputado Luciano Cartaxo. Na coligação com o PT o PSC não teve direito de indicar o vice. A chapa de Cícero foi a única que sofreu processo de impugnação.






Nenhum comentário:

Postar um comentário