13 de abril de 2012

País terá 95 hospitais para aborto de anencéfalos ainda em 2012, diz Saúde.



Brasil possui atualmente 65 unidades e até dezembro contará com mais 30.
STF legalizou nesta quinta interrupção da gravidez para fetos sem cérebro.

O Brasil possui atualmente 65 hospitais da rede pública que estão qualificados para realizar aborto de fetos anencéfalos, de acordo com o Ministério da Saúde. Ainda segundo o governo, até o final do ano serão mais 30 unidades, totalizando 95 locais pelo país.
Os locais não são divulgados devido ao temor de represálias às pacientes e à equipe médica que realiza o procedimento. A informação é repassada à gestante durante atendimento na rede do Sistema Único de Saúde (SUS)(confira a tabela).
Número de hospitais que realizam interrupção de gravidez de anencéfalos por estado
Acre 2
Alagoas 1
Amazonas 3
Amapá 1
Bahia 1
Ceará 9
Distrito Federal 1
Espírito Santo 1
Goiás 1
Maranhão 4
Minas Gerais 5
Mato Grosso 3
Mato Grosso do Sul 1
Pará 2
Paraná* 0
Paraíba 1
Pernambuco 5
Piauí 2
Rio de Janeiro 1
Rondônia 2
Rio Grande do Sul 4
Rio Grande do Norte 1
Roraima* 0
Santa Catarina 1
Sergipe 1
São Paulo 11
Tocantins 1
*De acordo com o Ministério da Saúde, Roraima e Paraná terão unidades credenciadas até o fim do ano
Esses hospitais, que já realizavam interrupções de gravidez em casos de estupro e risco à vida da mãe, passarão também a receber grávidas de fetos sem cérebro que optaram pelo aborto com assistência médica.
Nesta quinta-feira (12), o Supremo Tribunal Federal (STF) legalizou a interrupção da gravidez nesses casos. Após dois dias de debates, os ministros definiram que o aborto em caso de anencefalia não é crime por 8 votos a 2.
A decisão passa a valer após a publicação no "Diário de Justiça". Para a maioria do plenário do STF, obrigar a mulher manter a gravidez diante do diagnóstico de anencefalia implica em risco à saúde física e psicológica. Aliado ao sofrimento da gestante, o principal argumento para permitir a interrupção da gestação nesses casos foi a impossibilidade de sobrevida do feto fora do útero.
Unidades
De acordo com o governo federal, o estado de São Paulo é o que mais concentra unidades de atendimento atualmente (11, sendo quatro na capital paulista), seguido do Ceará (9), Minas Gerais e Pernambuco (5 hospitais em cada).
Os dois únicos estados sem hospitais autorizados a fazer interrupções de gravidez pelo SUS são Roraima e Paraná, mas o Ministério afirma que eles serão contemplados até o fim do ano.






POSTADO POR: MARTINS/G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário