22 de março de 2012

Ministério Público aponta irregularidades na saúde municipal de Bayeux




O Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Saúde realizou inspeção em unidades de saúde do município de Bayeux, em parceria com os Conselhos Regionais de Medicina, Odontologia, Enfermagem e Farmácia, Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária Estadual e Municipal. O principal problema detectado, segundo a coordenadora do Caop da Saúde, promotora Adriana Amorim, é a falta de atendimento do profissional médico.

De todas as unidades avaliadas, em apenas uma foi constatada a presença do médico, que deveria estar presente em horário integral, realizando os procedimentos de prevenção e promoção à saúde da população. “Em conversa com usuários, foram relatadas queixas sobre a inconstância do atendimento em algumas unidades e, notadamente, ao descumprimento da carga horária”, disse a coordenadora.

Foram fiscalizadas seis unidades básicas de saúde: São Bento I e II, Sesi III, Tambay, Jardim Aeroporto I e II. Além disso, o Hospital João Marsicano – o Hospital do Povo de Bayeux – também foi inspecionado pela Vigilância Sanitária Estadual e pelo Corpo de Bombeiros. As inspeções foram realizadas através de solicitação da Promotoria de Bayeux,  para instruir procedimento administrativo e, posteriormente, seus resultados serão encaminhados ao titular, para as medidas que se fizerem necessárias.

Também foram encontrados medicamentos vencidos e outras irregularidades a serem sanadas sob o ponto de vista de procedimentos, bem como de reparos na estrutura física e predial. “A acessibilidade é precária. Não há identificação de alguns locais. Copos descartáveis não ficam à disponibilização dos pacientes”, declarou a promotora.

Adriana Amorim ressaltou que um dos pontos positivos apresentados no município foi a existência do Projeto Gestação Consciente, pelo qual as mulheres são orientadas sobre o processo gestacional e em que maternidade terão seus bebês. As gestantes são convidadas, inclusive, a conhecer as instalações hospitalares do João Marsicano.

“A medida é apropriada, uma vez que Bayeux é um dos municípios que mais encaminha gestantes para João Pessoa, quando ele próprio tem a obrigação de realizar os partos de baixo risco de suas cidadãs. Espera-se que com projeto diminuam-se os números de deslocamentos desnecessários e que o atendimento seja prestado com qualidade”, explicou

Operação

A operação é fruto de parceria institucional dos órgãos de fiscalização, objetivando avaliar as condições de funcionamento dos equipamentos públicos que prestam serviços na área da saúde. “Esse acompanhamento do funcionamento dos serviços da Atenção Básica à Saúde, que são serviços que devem estar na comunidade, é muito importante, uma vez que as unidades consistem na porta de entrada do Sistema Único de Saúde, podendo resolver até 80% dos problemas. Por isso, devem ter seu acesso facilitado para que as necessidades das pessoas sejam acolhidas”, concluiu.

 
POSTADO POR FOCO PB/MPPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário