1 de março de 2012

GRANDE VITÓRIA: Comunitários do bairro recebem o dinheiro do Seguro Habitacional.






Depois de uma longa espera de quase 5 anos de luta travada na justiça, moradores do Valentina recebem os estornos, devidamente corrigidos, do Seguro Habitacional, valores chegam a quase 60 mil reais.
Na manhã desta segunda (27/02), no Salão Paroquial da Igreja Santíssima Trindade, foi realizada a solenidade de entrega dos cheques aos primeiros moradores contemplados com o Seguro. O evento foi marcado por muita alegria e muita emoção.
Senhora contemplada não conteve as lágrimas.

Estiveram Presentes os Advogados dos escritórios Bruno Kamisão e Associados, Souto Maior e Associados, Nilda Passoni da ONG Mãos Estendidas, Marmuthe Cavalcanti do Centro Comunitário do Bairro, além de representantes da FEPAMOC, do CONAN e de outras entidades de luta comunitária.
Os moradores extasiados com o presente que receberam logo no início da semana, já traçaram até planos: “Vou reformar minha casa, que está cheia de rachaduras e tomada por cupins, enfim vou ter uma moradia digna, graças a Deus.”, comenta a moradora contemplada, Lúcia Rufino.
Contemplada, Lúcia Rufino, recebendo o Cheque das mãos de Marmuthe Cavalcanti.

“Vou construir dois boxes em minha casa pra aumentar a minha renda, vou comprar uma coisas que sempre sonhei, e o resto será para aproveitar um pouco mais a vida com minha família.”, vibra o contemplado, Maracatú.
O Seguro Habitacional foi instituído com o objetivo de cobrir possíveis vícios de construção, ou defeitos que as residências do bairro pudessem a vir sofrer, pela má construção ou pelo tempo de uso, como: rachaduras, cupins, afundamento de piso, dentre outras avarias. Então, se você é proprietário de um imóvel integrante de um conjunto habitacional, adquirido por algum sistema nacional de habitação, sejam: IPEP, CAIXA, ou outros correlatos, você tem direito de receber o Seguro. Mesmo que o imóvel não esteja registrado em Cartório no seu nome, mas possui algum documento que comprove que é de sua propriedade, já lhe dá direito. Mas para isso é necessário que o imóvel não tenha passado por uma reforma completa ou ter recebido laje em sua totalidade.
“O projeto é sério, e feito por pessoas sérias, é uma realidade, o que estamos tratando aqui é de um direito líquido e certo dos adquirentes de imóveis em conjuntos habitacionais.” – Afirma Nilda Passoni, Presidente da Ong Mãos Estendidas.
O Líder Comunitário, Marmuthe Cavalcanti, que é Presidente do CICOVI e também advogado, assim que tomou conhecimento da existência desse direito cuidou logo de implantar um posto de atendimento com total estrutura para dar total apoio aos moradores nas inscrições e nas consultas jurídicas para fazer valer esse direito de todos que era silenciado pelas seguradoras, e com isso não se perdesse mais tempo, tudo de forma voluntária.

“Orgulho-me de fazer parte dessa luta e dessa conquista tão importante para o nosso bairro, orgulho-me mais ainda em saber que os moradores do Valentina foram os primeiros, de todo o Estado, a serem contemplados.”, festeja Marmuthe. “Um momento lamentável durante o processo foi que, pela demora na solução destas causas, devido a natural morosidade da justiça, fui vítima de muitas críticas e injúrias, mas nada me abatia, pois tinha sempre a plena convicção de que quem anda com a verdade não erra o caminho, estou de alma lavada.” Comenta Ele. “Tirando esses pequenos detalhes, o resto é só comemoração, pois trabalhar fazendo o bem sem ver a quem, é muito gratificante, e o mais recompensador nisso tudo é poder ver sorrisos e lágrimas nos rostos desse povo marcado, é de poder ver sonhos sendo renascidos, planos dessa gente humilde sendo traçados, justiça de moradia digna sendo alcançada, imagens que vão ficar para o resto da vida na minha memória, Deus é fiel.”, conclui Ele vibrando.
Ao final do evento todos foram convidados pelos dirigentes da solenidade para um almoço especial, animado com muito forró pé de serra, no Restaurante Coelhos.

Para se inscrever para ter também esse direito é simples, basta ter em mãos cópias dos documentos pessoais do proprietário do imóvel, bem como do documento que comprove a titularidade do mesmo (Contrato ou outro de mesmo valor jurídico), e levar para a sede do CICOVI – Centro Comunitário do Valentina, localizado na Rua Luiza de Cristo, 201, aqui no Valentina, entre a Igreja Aparecida e o Posto de Saúde, próximo ao Hospital. Outro importante detalhe é que você não precisa pagar nada para poder se inscrever, e o atendimento é de segunda a sexta, das 09 às 16h.

Para maiores informações ligue: 8827-1267, falar com Nilda Passoni, ou 8607-0123 falar com Marmuthe.





POSTADO POR FOCOPB.

2 comentários:

  1. Boa noite , em 1993 Minha mãe pediu para a irmã dela que er minha tia pra tirar uma casa aqui em extremoz RN,minha mãe não podia tirar pois não tinha renda comprovada! minha tia tirou e foi embora, minha mãe agora quitou a casa e minha tia não estar querendo tranferir pois ficou sabendo desse seguro e quer receber o dinheiro!afinal Quem vai receber O seguro minha mãe que tem todos os recibo das faturas que foi pagas e mora já há 19 anos na casa ou a minha tia só porque a casa esta no nome dela ! deiz de já agradeço ") Meu Email-> rrcell18@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Esse político mentiroso não é advogado,e um oportunista.

    ResponderExcluir