9 de fevereiro de 2012

NOTICIAS DO PLANALTO.

Transnordestina será caminho de desenvolvimento, diz presidenta em visita às obras

Em visita à Transnordestina, presidenta Dilma afirma que obras estarão concluídas em 2014. 

Na visita às obras de construção da Ferrovia Transnordestina, a presidenta Dilma Rousseff disse hoje (9), na cidade de Parnamirim (PE), que o governo federal vai trabalhar para que o empreendimento seja feito sem interrupções. Os prazos, disse, devem ser cumpridos para que a Transnordestina esteja concluída em 2014. Para isso, governo e empresas privadas terão uma reunião para avaliar o andamento das obras.
Vamos acertar os nossos parafusos para que haja uma solução mais rápida, porque ela é de imenso interesse para a região. A Transnodestina funciona como um caminho de desenvolvimento. Onde tem ferrovia tem transporte acessível e barato, afirmou a presidenta em entrevista coletiva.

Além disso, segundo Dilma Rousseff, a Transnordestina vai impactar o transporte de grãos e minérios.
Queremos garantir que o interior do Brasil se ligue aos portos. Isso significa maior capacidade de comercializar a produção e explorar o potencial da região.




Para presidenta Dilma, atos ilícitos não são compatíveis com a democracia

A presidenta Dilma Rousseff disse  (9) que o governo federal vai dar apoio aos estados que solicitarem a presença da Força Nacional de Segurança, como ocorreu na Bahia. Segundo ela, o governo deve considerar legítimas as reivindicações dos movimentos grevistas. No entanto, ressaltou a presidenta, a prática de “atos ilícitos” não é compatível com a democracia.
“Nós não consideramos que seja correto instaurar o pânico, instaurar o medo, criar situações que não são aquelas compatíveis com uma democracia. Em uma democracia você sempre tem de considerar legítimas as reivindicações, mas há formas de reivindicar. Eu não considero que o aumento de homicídios na rua, queima de ônibus, entrada em ônibus encapuzado seja uma forma correta de conduzir o movimento”, avaliou.
A presidenta Dilma disse ainda que os crimes cometidos durante a paralisação dos policiais na Bahia não podem ser anistiados. Segundo ela, o respeito às reivindicações está garantido, mas a anistia não pode ser usada para “sancionar a ilegalidade”.
“Atos ilícitos, por crimes contra o patrimônio, crimes contra as pessoas e crimes contra a ordem pública não podem ser anistiados. Se você anistiar, aí vira um país sem regra. Agora, eu repito, acho que você tem de respeitar democraticamente os movimentos e suas reivindicações.”





Para presidenta, integração do São Francisco vai assegurar o desenvolvimento do Nordeste

Presidenta visita as obras da integração do Rio São Francisco. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
As obras de integração do Rio São Francisco vão assegurar as condições de desenvolvimento ao Nordeste, além de garantir que o aquecimento da economia brasileira num momento de crise internacional. A avaliação foi feita pela presidenta Dilma Rousseff em entrevista coletiva na cidade de Juazeiro do Norte, no Ceará, durante visita às obras no Rio São Francisco.
“Eu estou aqui hoje também para acelerar o investimento e fazer com que essa obra, que é importantíssima socialmente, cumpra também seu papel econômico, que é gerar emprego, fazer demandas, contratar gente, comprar cimento, assegurar que a economia continue se mexendo”, disse a presidenta.



Segundo a presidenta, superada a fase de renegociação de contratos, o governo agora vai cobrar o cumprimento de prazos e de metas para garantir o acesso à água pela população do semiárido.
“Hoje, assinalo o seguinte: a partida está dada. Essa partida é fundamental. Essa é uma obra crucial para o Brasil. Sem ela, uma parte do Brasil, que é o Nordeste, não tem as condições adequadas para o seu desenvolvimento, por isso que nós estamos aqui”, afirmou.






POSTADO POR GENILDO ALVES/BLOG DO PLANALTO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário