12 de fevereiro de 2012

Criminosos aproveitam Carnaval para arrombar imóveis.

Na Paraíba, apenas este ano do início do mês de janeiro até agora, já foram registrados mais de 30 casos de arrombamentos e/ou furtos em residências.

De folia e diversão durante as festas carnavalescas e das férias nos meses de janeiro e fevereiro todo mundo gosta. O período faz parte da tradição popular brasileira e é comemorado em praticamente todos os Estados do país. Na Paraíba, não é diferente. Mas aqui no Estado a maior parte das festividades se concentra nos municípios de João Pessoa e Campina Grande e por conta disso, milhares de paraibanos deixam suas casas nessa época. Aproveitando o momento, bandidos têm atacado com facilidade os imóveis.
Os arrombamentos, invasões e furtos nas residências crescem todos os anos nesse período. Na Paraíba, apenas este ano do início do mês de janeiro até agora, já foram registrados mais de 30 casos de arrombamentos e/ou furtos em residências. A maior parte dos casos registrada nas duas cidades.
Em cidades como Patos, Sousa, Guarabira e Cajazeiras, segundo a polícia, os casos de arrombamentos são isolados.
Um deles aconteceu, por exemplo, no bairro da Estação, em Sousa, na última sexta-feira. Homens arrombaram uma escola particular e roubaram aparelhos de som e equipamentos musicais. O local estava sem aulas, por conta das férias escolares.

Em Campina Grande, um dos bairros mais 'cobiçados' pelos arrombadores é o Catolé. Dono de uma residência na rua José Branco Ribeiro, o funcionário público José Gonçalves Sobrinho, de 42 anos, conta que já teve uma experiência pouco agradável.

Ele viajou para a capital há dois anos, junto com a esposa e dois filhos, para passar 20 dias no início do ano, mas quando retornou encontrou o imóvel arrombado. Os bandidos pularam o muro da casa e arrombaram os cadeados, levando eletroeletrônicos e outros objetos da família. “Foi uma situação horrível. Hoje quando me programo para sair deixo sempre meu irmão de orelha em pé na casa. Não dá mais pra gente deixar o nosso patrimônio sozinho. As pessoas invadem mesmo. A gente se depara com casos todos os dias”, afirmou, recordando que ainda hoje tem trauma da violência.

Na semana passada, o proprietário de uma oficina mecânica, no Distrito Industrial, também teve uma surpresa desagradável.

Bandidos ainda não identificados arrombaram janelas do estabelecimento e roubaram cerca de R$ 20 mil, sendo R$ 12 mil em espécie e R$ 8 mil em cheques. A vítima tinha viajado com a família para a capital.

Especialista na área, o promotor de segurança e presidente do Fórum Municipal de Segurança Pública de Campina Grande, Walmir Nascimento, lembra que “cada um pode fazer a sua parte e contribuir para que o crime não ocorra. É preciso que cada proprietário de imóvel tome conta de sua propriedade.

Nessa época do ano realmente é comum o aumento das estatísticas de assalto e arrombamentos em todo o Estado. Mas isso não deve inibir a ação da população, que tem o dever de colaborar com o trabalho das polícias e denunciar todos os casos”, comentou.

Mas quem prefere não arriscar, há também a possibilidade de contratação de serviços de segurança eletrônica e patrimonial.

Nessa época do ano, a procura por esse tipo de serviço aumenta. “E é importante que as pessoas procurem empresas e profissionais especializados, porque os aparelhos são instalados dependendo do objetivo do cliente. Há no mercado equipamentos para todas as situações e a tecnologia está cada vez mais aprimorada”, ressaltou Ruan Pinheiro.


POSTADO POR FOCO PB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário