5 de janeiro de 2012

Conselheiros tutelares presos na PB podem ir para presídio, diz polícia.


Eles foram presos por suspeita de extorquir um vereador de Bayeux.
Segundo a polícia, transferência pode acontecer nesta quinta (5).


Conselheiros receberam voz de prisão logo que pegaram o dinheiro (Foto: Walter Paparazzo/G1 PB)Conselheiros negam que tenham extorquido o
vereador Nino do PT.
 
Os dois conselheiros tutelares que foram presos no município de Bayeux, na Grande João Pessoa, na noite de quarta-feira (4) por suspeita de tentar extorquir um vereador podem ser levados para um presídio ainda nesta quinta-feira (5). A informação foi dada pela 5ª Delegacia Distrital de Bayeux e confirmada pela coordenação da Central de Polícia de João Pessoa, onde eles estão detidos desde esta madrugada.

Os conselheiros Tony Cultura e Jarbas Coelho foram presos em flagrante pela Polícia Militar por suspeita de tentar extorquir o vereador Nino do PT. De acordo com a polícia, eles pediam dinheiro para não acusar o parlamentar de pedofilia.

O advogado Gutemberg Cabral, que defende o vereador, disse ao G1 que o conselheiro tutelar Tony Cultura, que foi candidato a prefeito, procurou seu cliente para dizer que sabia do namoro dele com uma adolescente de 15 anos. Cabral confirmou o relacionamento, mas disse que os pais da menina sabiam e autorizavam o namoro.

Nino do PT disse que conhece Tony Cultura  desde a infância e que estava constrangido com toda a situação, mas que ele o havia procurado repetidas vezes para cobrar R$ 6 mil em troca do silêncio.

Segundo o major Lucas, da Polícia Militar, que montou o flagrante, a ação foi planejada depois que o vereador apresentou algumas gravações e ter feito uma ligação para o conselheiro e ter ouvido as ameaças feitas por ele. “Deixamos policiais na casa e marcamos um encontro”, disse o PM. Os dois foram presos logo após o vereador fazer a entrega do dinheiro.

Em sua defesa, Tony Cultura disse que na verdade estava indo aconselhar o vereador. “Ele é pedófilo e eu fui dizer que ele deixasse essa menina. Até porque as pessoas já estavam denunciando ao conselho essa relação dele. Eu fui dizer a ele que já tinha gente querendo extorquir ele.”

Ele disse acreditar que foi vítima de uma armação política. “Eu havia marcado uma conversa com Nino para ajudá-lo. Ele me pediu para entregar o dinheiro a alguém que estava extorquindo ele. Quando eu cheguei na casa, a polícia me prendeu. Mas isso tudo é para que eu não possa me candidatar no ano que vem”.

Já Jarbas Coelho, disse que havia sido convidado por Tony para ir discutir com o vereador a mudança de uma lei municipal que não permite filiação de conselheiros tutelares a partidos políticos. Tony Cultura disse que havia apenas pedido uma carona ao colega.



POSTADO POR GENILDO ALVES/G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário