13 de janeiro de 2012

CNI/Ibope: 61% dos brasileiros desaprovam serviço público de saúde.




CNI/Ibope: 61% dos brasileiros desaprovam serviço público de saúdePesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria com o Instituto Ibope divulgada nesta quinta-feira aponta que 61% dos brasileiros desaprovam o serviço público de saúde, classificando-o como "ruim" ou "péssimo". Conforme o levantamento, 85% do eleitorado não percebeu qualquer avanço no sistema público de saúde nos últimos três anos.

Quando medido o acesso aos serviços de saúde, a pesquisa revela que 68% dos brasileiros têm a rede pública como único ou principal fornecedor de serviços médicos e hospitalares. Nas cidades, 54% da população avalia como desabonador o serviço de saúde municipal.

Os hospitais públicos receberam nota média de 5,7 em uma escala de zero a dez. No caso dos hospitais privados, o patamar chega a 8,1 pontos. Os profissionais dos hospitais públicos tiveram média geral de 6,3, enquanto os que trabalham em hospitais particulares atingiram nota de 8,2.

Entre os principais problemas do serviço público em postos e hospitais, 55% dos brasileiros apontam a demora no atendimento. A falta de equipamentos é citada por 10% dos entrevistados. O aumento do número de médicos, por sua vez, é lembrado por 57% dos entrevistados como uma das principais medidas para melhorar o serviço na rede pública de saúde. Equipar melhor os hospitais e postos de saúde é a segunda ação mais citada pela população como forma de aumentar a qualidade na saúde, com 54% de menções.

A necessidade de o Brasil aumentar os investimentos na área da saúde é quase consenso na população, com 95% do eleitorado reconhecendo a importância e necessidade de se destinar mais recursos para a área. Ainda assim, apenas 4% consideram que o governo deve aumentar impostos para suprir as carências do setor.

A despeito da necessidade de mais investimentos, as medidas preventivas são consideradas mais importantes que a construção de hospitais. Dos entrevistados, 71% deles concordam que vacinação e orientação da população, por exemplo, devem ser prioritários quando comparados cPesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria com o Instituto Ibope divulgada nesta quinta-feira aponta que 61% dos brasileiros desaprovam o serviço público de saúde, classificando-o como "ruim" ou "péssimo". Conforme o levantamento, 85% do eleitorado não percebeu qualquer avanço no sistema público de saúde nos últimos três anos.

Quando medido o acesso aos serviços de saúde, a pesquisa revela que 68% dos brasileiros têm a rede pública como único ou principal fornecedor de serviços médicos e hospitalares. Nas cidades, 54% da população avalia como desabonador o serviço de saúde municipal.

Os hospitais públicos receberam nota média de 5,7 em uma escala de zero a dez. No caso dos hospitais privados, o patamar chega a 8,1 pontos. Os profissionais dos hospitais públicos tiveram média geral de 6,3, enquanto os que trabalham em hospitais particulares atingiram nota de 8,2.

Entre os principais problemas do serviço público em postos e hospitais, 55% dos brasileiros apontam a demora no atendimento. A falta de equipamentos é citada por 10% dos entrevistados. O aumento do número de médicos, por sua vez, é lembrado por 57% dos entrevistados como uma das principais medidas para melhorar o serviço na rede pública de saúde. Equipar melhor os hospitais e postos de saúde é a segunda ação mais citada pela população como forma de aumentar a qualidade na saúde, com 54% de menções.

A necessidade de o Brasil aumentar os investimentos na área da saúde é quase consenso na população, com 95% do eleitorado reconhecendo a importância e necessidade de se destinar mais recursos para a área. Ainda assim, apenas 4% consideram que o governo deve aumentar impostos para suprir as carências do setor.

A despeito da necessidade de mais investimentos, as medidas preventivas são consideradas mais importantes que a construção de hospitais. Dos entrevistados, 71% deles concordam que vacinação e orientação da população, por exemplo, devem ser prioritários quando comparados com a edificação de casas de saúde.

Entre os programas governamentais, as campanhas de vacinação e de combate à dengue são os mais lembrados e bem avaliados pela população, com notas 8,8 e 7,9, respectivamente. A pesquisa CNI/Ibope tem margem de erro de dois pontos percentuais. O levantamento foi realizado com 2002 pessoas em 141 municípios no período de 16 a 20 de setembro de 2011.om a edificação de casas de saúde.

Entre os programas governamentais, as campanhas de vacinação e de combate à dengue são os mais lembrados e bem avaliados pela população, com notas 8,8 e 7,9, respectivamente. A pesquisa CNI/Ibope tem margem de erro de dois pontos percentuais. O levantamento foi realizado com 2002 pessoas em 141 municípios no período de 16 a 20 de setembro de 2011.




POSTADO POR GENILDO ALVES/JPB.













Nenhum comentário:

Postar um comentário