1 de janeiro de 2012

Ano começa com sete assassinatos em cidades da Paraíba.


As Polícias Militar e Civil registraram, pelo menos, sete assassinatos em cidades das regiões metropolitanas de João Pessoa e Campina Grande em um intervalo de seis horas, entre o sábado (31) e as primeiras horas de 2012, neste domingo (1º). No primeiro caso, ocorrido por volta das 21h no município de Juazeirinho, localizado na região da Borborema, um comerciante matou a esposa dentro de casa, quando ela se preparava para a festa de Ano Novo. De acordo com a Polícia Militar da cidade, a mulher pintava as unhas quando foi morta com um tiro na cabeça. O suspeito  cometeu suicídio logo depois e a motivação do crime teria sido passional.

Já no bairro Alto Branco, área nobre de Campina Grande, um jovem de 22 anos morreu ao ser atingido por três tiros e outras duas pessoas ficaram feridas durante uma festa. Testemunhas informaram à Central de Operações da Polícia Militar que houve uma discussão no local, por volta da 1h30. Os feridos estão internados no Hospital de Emergência e Trauma, mas seus estados de saúde ainda não foram identificados. Nenhum suspeito de cometer o crime foi preso até as 8h (horário local) deste domingo.

Também em Campina Grande, um homem de 32 anos foi atingido por três tiros e uma facada no bairro Rosa Cruz. Segundo a Copom, os moradores da rua apenas informaram que ouviram os tiros e encontraram a vítima caída, mas não teriam conseguido identificar o autor dos disparos. Um crime semelhante aconteceu na cidade vizinha, Lagoa Seca. Uma agricultor de 32 anos também foi encontrado morto com dois tiros na cabeça. De acordo com a Polícia Civil, a comunidade dificultou os primeiros trabalhos de investigação por não querer comentar o que viu.

Já na região metropolitana de João Pessoa, foram registrados mais três assassinatos. Um deles aconteceu no Bairro dos Ipês, na capital, e outro no Centro do município de Cabedelo. Neste último caso, a 7ª Delegacia Distrital informou que a vítima estava pedalando em uma bicicleta quando foi surpreendida por tiros. O homem morreu no local e estava sem documentos, o que não permitiu a identificação oficial. O corpo foi encaminhado para a Gerência de Medicina Legal da capital, onde fica disponível para reconhecimento.

O último crime aconteceu às 4h30 no bairro Mário Andreazza, em Bayeux. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi um ex-presidiário de 26 anos, que respondia a investigações por suspeita de participação em três homicídios. Ele estaria na rua com um irmão quando foi ferido pelos tiros e acabou morrendo no local. O irmão sobreviveu e foi levado para o Hospital de Trauma de João Pessoa. A Polícia Civil ainda deve ouvir o depoimento dele para identificar os responsáveis pelos tiros e o motivo do atentado.


POSTADO POR GENILDO ALVES/G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário