31 de dezembro de 2011

Perfumes poderão ter isenção fiscal parcial em áreas de livre comércio.



Projeto em tramitação na Câmara estende a isenção do imposto de importação (II) e do imposto sobre produtos industrializados (IPI) a perfumes e produtos de higiene pessoal quando se destinarem ao consumo nas áreas de livre comércio. O autor da proposta (Projeto de Lei 2337/11), deputado Raul Lima (PSD-RR), argumenta que ela tem por objetivo igualar a tributação vigente nestas áreas àquela previstas para a Zona Franca de Manaus. Raul Lima explica que “o decreto-lei [288/67] que criou a zona franca permite a entrada de perfumes estrangeiros com isenção, desde que para o consumo interno no local”. ProdutosPela proposta, terão direito à isenção dos impostos mencionados os seguintes produtos de higiene: - preparações para barbear; - desodorantes corporais; - preparações para banhos; - depilatórios; - desodorantes de ambiente; - preparados, mesmo não perfumados, com ou sem propriedades desinfetantes. O benefício tributário terá vigência nas áreas de livre comércio de Boa Vista e Bonfim (AC); Tabatinga (AM); Guajará-Mirim (RO); Macapá e Santana (AP); e Brasiléia e Cruzeiro do Sul (AC). TramitaçãoA proposta terá análise conclusiva das comissões de Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional; de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Íntegra da proposta: PL-2337/2011 
 
 
POSTADO POR GENILDO ALVES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário