15 de dezembro de 2011

Mães que trabalham são mais felizes e saudáveis.



Mulheres que estão no mercado de trabalho após o nascimento dos filhos têm uma melhor saúde geral e menos sintomas depressivos
Satisfação pessoal: ter uma profissão, mesmo que em meio período, favorece a saúde mental e física das mulheres com filhos pequenosSatisfação pessoal: ter uma profissão, mesmo que em meio período, favorece a saúde mental e física das mulheres com filhos pequenos(Thinkstock).

Trabalhar durante a infância dos filhos pode fazer bem à saúde mental e física das mães. É o que aponta um estudo publicado no Journal of Family Psychology. De acordo com a pesquisa, aquelas mulheres que saem de casa para trabalhar após o nascimento dos filhos tendem a ter uma melhor saúde geral e menos sintomas depressivos.

Durante a fase de levantamento de dados foram entrevistadas cerca de 1.500 mães, de 10 localidades diferentes dos Estados Unidos – 14% eram mães solteiras. O período considerado no estudo foi de 10 anos, com início logo após o nascimento da criança. De acordo com Cheryl Buehler, coordenadora do estudo e professora da Universidade da Carolina do Norte, em todos os casos os resultados finais favoreceram o trabalho em tempo parcial, frente àquele em tempo integral ou nenhum trabalho. “Mas, em muitos casos, a sensação de bem estar da mãe não tinha diferença entre as que trabalhavam meio período e o dia todo”, diz Cheryl.

As mães que trabalhavam em tempo parcial aparentavam ter uma melhor saúde e menos casos de depressão. Mas a saúde geral e apenas sintomas depressivos eram essencialmente iguais entre as que trabalhavam em período integral e as em período parcial. A diferença foi mais evidente, no entanto, em relação à qualidade do tempo com os filhos. Entre as mães que trabalhavam meio período, foi visto níveis mais altos de sensibilidade para com as crianças. Uma hipótese é a de que o tempo longe dos filhos dava a essas mães um maior apreço pelos momentos em que eles estavam juntos.

Futuro – De acordo com a pesquisa, o estudo dá indícios de que é necessário um pensamento mais aprofundado sobre fatores como status profissional, flexibilidade de horários, compromissos de trabalho e turnos. Assim, seria ideal que as mães adentrassem ambientes adultos por algumas horas e desfrutassem de alguns níveis de satisfação profissional – além de certa liberdade financeira.


POSTADO POR GENILDO ALVES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário