5 de novembro de 2011

Zé Lezin xinga João Pessoa: 'Tirando a praia, nada presta'.


Zé Lezin xinga João Pessoa: 'Tirando a praia, nada presta'
O humorista Nairon Barreto, o Zé Lezin, durante o show realizado na noite desta sexta-feira (4), no Teatro do Hotel Garden em Campina Grande (PB) ofendeu a cidade de João Pessoa, ao afirmar que na capital paraibana só prestava a praia. ´Tirando a praia a cidade é uma b****`, disse o humorista.

A afirmação causou grande desconforto, pois na platéia se encontrava um grande grupo de universitários do Curso de Turismo do IESP, jornalistas e familias pessoenses.

Antes do final do show Zé Lezin voltou a atacar João Pessoa, dizendo que a cidade não é iluminada e decorada para o Natal, com o povo não expressando o sentimento natalino.

“João Pessoa estava suja, abandonada e no escuro no Natal”, afirmou Zé Lezin.

Segundo o coordenador da excursão dos estudantes de turismo Leonardo Ferreira Barbosa o humorista foi anti-ético pois sabia que estava na platéia um grupo de pessoas da Capital.

Todos ficaram revoltados porque ele sempre foi muito bem recebido pelo público pessoense. Para a estudante de turismo Niedja Glória, Nairon Barreto estava revoltado e descontando sua raiva porque foi cortado o incentivo cultural que ele recebia e com se vingou agredindo a cidade.

Para o diretor do sindicato dos jornalistas da PB e FENAJ (Federação Nacional de Jornalistas), Edson Verber, presente ao show, ´foi uma agressão, sem o menor sentido e baseada em premissas mentirosas, uma vez que o humorista afirmou que João Pessoa estava suja, abandonada e no escuro no Natal, quando é justamente o inverso, a cidade está limpa, bem cuidada e tem ornamentação natalina e que acaba de ser completada com a restauração total da fonte da lagoa, que virou inclusive atração turística. E mesmo sem a praia, João Pessoa é maravilhosa, com a Mata do Buraquinho, com a Bica, o parque Solon de Lucena, o Porto do Capim e com o seu pujante centro universitário da UFPB que exporta pesquisa tecnológica para o Nordeste e para o Brasil de forma que a única merda foi o que Zé Lezin (Nairon) falou´. concluiu Verber.

A gaúcha, da cidade de Rio Grande, a 600 km de Porto Alegre, Carol do Amaral também estava revoltada. Segundo ela João Pessoa é uma cidade apaixonante e não justifica o que o humorista falou. Na platéia ainda haviam duas crianças, uma delas, o garoto G.B.F, de 7 anos e que estava acompanhada da mãe disse que  o show foi ruim com a ofensa a João Pessoa e devido aos muitos palavrões. A professora do curso de Turismo do IESP, Tércia Lima afirmou que o humorista foi anti-ético e fez uma colocação desnecessaria. Ele pecou pela palavra, concluiu a professora.

O filho do humorista Ed Marcos, afirmou ao jornalista Rogerio Almeida presente ao show que não concordava com as palavras do pai, pois era politicamente incorreta, mas tudo tinha a ver com a política. Depois da agressão outras pessoas ouvidas disseram que o show havia perdido a graça.

Para o jornalista de turismo Rogério Almeida, Nairon Barreto foi infeliz, pois estava menosprezando sua própria cidade, quando se percebe claramente que se tratava de interesse contrariado. O humor em detrimento de pessoas, cidades e objetos deixa de ser engraçado para ser ofensivo, e aí perde totalmente a graça, conclui o jornalista.


POSTADO POR GENILDO ALVES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário