2 de novembro de 2011

Governador inaugura 1ª Companhia da Guarda Militar da Reserva.

A política de segurança pública que está sendo implantada na Paraíba ganhou mais um reforço nesta terça-feira (1º), com a formação de 77 militares que estavam na reserva remunerada e passaram a integrar a 1ª Companhia da Guarda Militar da Reserva, cuja sede foi inaugurada pelo governador Ricardo Coutinho, no final da tarde. Esses policiais vão possibilitar o aumento do efetivo nas ruas, uma vez que substituirão os militares da ativa que cumpriam tarefas administrativas.

Logo após inaugurar a sede da 1ª Companhia da Guarda Militar da Reserva, localizada na Rua da Areia, em João Pessoa, o governador Ricardo Coutinho deu as boas vindas aos policiais que retornaram à ativa e disse que esperava deles compromisso, lealdade e respeito, para que possam também ter o carinho e o reconhecimento da população.

Ricardo Coutinho ressaltou que a criação da Guarda Militar da Reserva, além de fazer com que os policiais se sintam úteis e possam prestar um serviço à sociedade, vai tirar muitos deles de funções inadequadas em “bicos” na iniciativa privada. “São pessoas que estão em plena forma, com a capacidade laborativa a toda prova, que podem e vão contribuir demais em diversas atividades, algumas delas que estão sendo hoje efetuadas por policiais da ativa”, explicou.

O governador ainda salientou que a Guarda Militar da Reserva vai reforçar o efetivo de policiais nas ruas e contribuir com o resgate do sentimento de tranquilidade por parte da população paraibana. “Essa é uma forma de não só reconhecer o trabalho feito anteriormente por esses policiais que voltam hoje à ativa, mas ao mesmo tempo reforçar nossa política de segurança pública”, observou.

Entre as ações implementadas por meio da nova política de segurança pública, Ricardo Coutinho destacou a promoção de policiais considerando a ficha funcional, a melhoria das condições de trabalho com novos veículos e armamentos e ocupações dos espaços pelas Polícias Comunitária e Solidária.

Representando os novos integrantes da Guarda Militar da Reserva, o subtenente Valdemar Filho agradeceu ao governador Ricardo Coutinho pela oportunidade que lhes dava de contribuir com a construção da paz no Estado, e conclamou os companheiros a investir nos seus próprios talentos em benefício dos outros. “É a hora de olharmos para trás, avaliarmos, usarmos esse tempo de experiência passada e lançarmo-nos para o segundo tempo das nossas vidas na esperança de oferecer nossa contribuição para o outro”, disse.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, parabenizou e desejou sucesso aos policiais da Guarda da Reserva. “Quem estava na reserva agora está ainda mais ativo”, ressaltou. O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, abençoou os militares e suas famílias e disse que a presença deles dá segurança à população.

Guarda Militar da Reserva – A 1ª Companhia da Guarda Militar da Reserva (GMR) foi criada por decreto governamental e é formada por oficiais e praças da Polícia Militar que se encontravam na reserva remunerada. Eles vão ser utilizados em atividades administrativas antes desempenhadas por policiais da ativa, como guardas de quartéis, de presídios, de ONGs e de outros órgãos.

Os oficiais da Guarda Militar da Reserva terão uma remuneração de R$ 1.800,00, sendo R$ 1.650 de vencimentos mais R$ 150 da taxa de alimentação. Os praças da GMR ganharão R$ 1.240,00 (R$ 1.090 mais R$ 150).
O tenente-coronel da PM Paulo Almeida Martins, coordenador geral da GMR, informou que terá companhias também em Campina Grande, Patos, Guarabira e Cajazeiras, podendo se expandir para outras cidades polo. O efetivo de cada companhia será de 100 militares. Na 1ª Companhia estão iniciando os trabalhos 77 homens, sendo nove oficiais. No Gabinete Militar do Governador (Palácio da Redenção), 27 militares da ativa já foram substituídos por integrantes da Guarda Militar da Reserva e passaram a reforçar o efetivo das unidades operacionais da Região Metropolitana de João Pessoa.

Em todo o Estado se inscreveram mais de 500 militares da reserva. A idade limite para a GMR é de 60 anos. Eles passam por um treinamento de readaptação funcional com duração de 60 horas/aula ministradas no Centro de Educação da Polícia Militar, em Mangabeira, em João Pessoa. Entre as disciplinas estão defesa pessoal, relações públicas e humanas, tiro defensivo e direito aplicado.







POSTADO POR GENILDO ALVES/Secom/PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário