20 de novembro de 2011

Bruno Farias denuncia ex-presidente Bernardino por realizar pagamentos a seus próprios familiares com o dinheiro do partido.


O vereador Bruno Farias, vice-presidente estadual do PPS, denunciou neste sábado, 19, que José Bernardino da Silva, que foi presidente do partido por seis anos, teria realizou diversos pagamentos em nome da legenda com recursos de origem não comprovada para seus próprios parentes. Os supostos pagamentos somam mais de R$ 14 mil.

De acordo com o parlamentar, essas falhas levaram também à reprovação das contas do PPS pelo Tribunal Regional Eleitoral pela terceira vez consecutiva. “Não existiram apenas erros formais, mas também há falhas graves que precisam ser apuradas até na esfera penal”, destacou.
“No processo de prestação de contas durante o exercício de 2007 foi verificado o recebimento de receita de origem não identificada e o uso desses recursos para pagamentos de despesas não comprovadas, em que se destaca o pagamento feito ao seu próprio filho, Sr. Tiago Bernardino de Sousa e Silva, por serviços prestados ao partido, que na época, tinha recém completado 18 anos de idade”, ressaltou
Bruno Farias ainda denunciou que o ex-presidente do PPS abusou dos pagamentos feitos a familiares e amigos, o que pode ser visualizado na prestação de contas do partido de 2008. Pelo menos sete pessoas e uma empresa teriam recebido pagamentos pelo partido, sem que tivessem prestado qualquer tido de serviço. Os recibos variavam de R$ 700 a R$ 2 mil.
No caso da empresa Creative, o vereador apontou que o recebido foi de R$ 3.912,43 e que a empresa está registrada em nome de Juscelino Bernardino, irmão de José Bernardino, com suposto endereço na antiga residência do ex-presidente (Rua Generino Honorato da Silva, Jardim Planalto, 17, Santa Rita-PB).
“Diante dessas constatações, só podemos deduzir que se trata de uma empresa fantasma. Se somarmos todos os valores acima mencionados chegaremos ao montante de R$ 14.271,43 (quatorze mil duzentos e setenta e um reais e quarenta e três centavos) pagos por serviços supostamente realizados por familiares do Sr José Bernardino”, reforçou.
O vereador também ressaltou que na mesma prestação de contas José Bernardino havia informado que a sede do partido localizava-se na sua residência da época, que ficava na Rua Generino Honorato da Silva, 17, Jardim Planalto, Santa Rita.
“Como a sede de um partido como o PPS pode funcionar no quintal de uma casa? Será que Bernardino ocultava a receita e a despesa do aluguel da sala onde realmente o PPS funcionava?”, questionou. “Este é o exemplo vivo do quanto este cidadão mistura a coisa pública com a coisa privada”, arrematou.
Veja quem são os parentes de Bernardino beneficiados com verbas do partido, de acordo com a denúncia do vereador Bruno Farias:
1- IZABEL CRISTINA SANTOS RODRIGUES ( dois recibos de R$ 1.000,00 cada um) – é vizinha de infância de José Bernardino e nunca trabalhou para o partido. Atualmente, reside em uma casa de Jucelino Bernardino, irmão de José Bernardino, e trabalha na casa de Valdir Bernardino, também irmão de José Bernardino, e, inclusive, as casas que este constrói para vender pela CEF são em nome dela.
2- LARISSA CHAVES DOS SANTOS SOUZA (um recibo de R$ 1.000,00) – é sobrinha de Tatiana, esposa de José Bernardino, e, na época do recibo, residia com José Bernardino e Tatiana na Rua Generino Honorato da Silva. Também não prestou serviço algum ao partido.
3- PAULO AURÉLIO LIMA DE MELO (recebeu R$ 1.500,00)- é cabo eleitoral de Otávio Cassiano, filho de José Bernardino que é vereador em Santa Rita, e, como os anteriores, não prestou serviço ao PPS.
4- JOÃO BATISTA G. DE LIMA JR. (recebeu o valor de R$ 1.670,00) – advogado, que na época, ministrou o curso de formação política aos candidados por todo o Estado junto com Otávio Cassiano de S. Silva, filho de José Bernardino, e, que, conforme sua própria declaração, não recebeu valor algum pelo curso, desconhecendo se Otávio Cassiano, o filho de Bernardino, recebeu algo.
5- ANA PAULA ADOLFO DA SILVA (um recibo de R$ 2.000,00)- é da família de Ana Cecília, esposa de Valdir Bernardino, que é irmão de José Bernardino, e jamais prestou serviço ao PPS.
6- JOSÉ ROBERTO DA SILVA (recebeu R$ 700,00) – é irmão de Ana Cecília, esposa de Valdir Bernardino, e nunca prestou serviço ao partido.
7- RIVALDO PEREIRA DE ALMEIDA (recebeu o valor de R$ 1489,00) – é um cidadão analfabeto, que trabalha na feira pública de Santa Rita/PB, abatendo frangos, e que nunca trabalhou para o partido.
8- EMPRESA CREATIVA (um recibo de R$ 3.912,43)- empresa no nome de Jucelino Bernardino, irmão de José Bernardino, com suposto endereço na antiga residência de José Bernardino (Rua Generino Honorato da Silva, Jardim Planalto, 17, Santa Rita-PB). Trata-se de uma empresa fantasma. Ressalte-se, ainda, que a referida nota fiscal é referente ao curso de formação política ministrado pelo advogado João Batista G. de Lima e por Otávio Cassiano (filho de José Bernardino), curso pelo qual, como já dito, o advogado João Batista não recebeu valor algum.


POSTADO POR GENILDO ALVES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário