7 de outubro de 2011

ÚLTIMAS NOTICIAS.



As vítimas de Maranhão e a crise do PMDB


É realmente um fenômeno o fato do ex-governador José Maranhão ainda ser o líder mais temido e respeitado dentro do PMDB.  Ao longo de vários anos, ele só colecionou vítimas dentro da legenda. Sempre impondo seu próprio tom. Escrevendo suas próprias regras.
Aliás, talvez seja por isso mesmo. É pelo que mal que se conquista o respeito mais rápido. Embora seja pelo bem que ele dure mais tempo.
Somente na última década, quando “ejetou” Ney Suassuna da campanha em 2002, Maranhão foi fazendo vítimas dentro do próprio PMDB, criando uma silenciosa massa de “aliados magoados”.  
De Suassuna a Roberto Paulino, de Tarcísio Burity a Trócolli Júnior, até chegar caso mais recente – Gervásio Maia -  e, futuramente, em Manoel Júnior, todos sabem o que é conviver com o egocentrismo inato da velha raposa de Araruna.
E quem acha que o ex-governador faz tudo pensando somente no próprio clã está muito enganado.  Forçadamente alijado da campanha de 2006, Benjamim Maranhão, que é sobrinho do ex-governador, sabe muito bem do que estou a falar.
O problema é que um dia a corda arrebenta. Como diria Maquiavel, o povo aceita tudo, menos ser oprimido. Assim como os peemedebistas.  E a de Maranhão está muito próxima. A decisão do deputado Gervásio Maia permanecer no PMDB, apesar de romper com Maranhão, é um sinal do início da sublevação que está pra acontecer no reinado do ex-governador.
Gervásio quis ficar porque sabe que pode arregimentar um exército de “aliados magoados” dentro do próprio PMDB para impor ao partido uma nova era, onde os novos tomarão lugar dos velhos, numa imensa transição interna que levará Maranhão para a aposentadoria compulsória.
É por isso que Gervasinho resolveu ficar. Pra recrutar figuras como Roberto Paulino e Manoel para a revolução silenciosa.
De Campina Grande, o prefeito Veneziano Vital do Rego não pode – nem deve- desprezar esse novo sentimento.
Corre o risco de ficar falando sozinho dentro da própria casa.

Amigo pessoal de Freire, ex-vereador de Olinda assume PPS de Cabedelo e diz que partido vai brigar na majoritária

O PPS de Cabedelo tem novo comando. Recém-filiado à legenda, o ex-vereador de Olinda e empresário, Ronaldo Guerra, assumiu a presidência do partido na cidade portuária com o objetivo de organizar a legenda para as eleições de 2012.
 
Aliado ao projeto do PSB do governador Ricardo Coutinho, Guerra disse que o PPS vai aguardar a definição do candidato a ser indicado pelo grupo a fim de iniciar a briga pela vaga de vice-prefeito na chapa majoritária.
 
Amigo pessoal do presidente nacional do PPS, Roberto Freire, com quem já fez política em Pernambuco, Ronaldo Guerra espera fazer do partido uma legenda forte. De ontem pra hoje já filiou mais de 80 pessoas.
 
E promete trazer Freire para Cabedelo em dezembro, quando realizará convenção municipal.
 

Faltam cinco: Desembargador diz que MP da Terceirização precisa de 24 deputados para ser aprovada

O desembargador Romero Marcelo do Tribunal de Justiça da Paraíba concedeu uma liminar no final da tarde desta sexta-feira (7) suspendendo a votação da Medida Provisória do Trauma que foi aprovada pela Assembleia Legislativa na última quarta-feira (5). No entendimento do desembargador o quórum não foi qualificado, e deveria ser de 2/3, ou seja, 24 deputados presentes na sessão. Ele também entendeu que o prazo que os deputados tem para oferecer emendas foi respeitado, que é de 10 dias. O resultado da liminar foi informado pela deputada estadual Daniela Ribeiro (PP). 

A oposição na ALPB ingressou na última quinta-feira (06) com um Mandado de Segurança na Justiça para tentar derrubar a aprovação da MP do Trauma, matéria que trata da pactuação dos serviços da saúde em todo o Estado, a exemplo do que já acontece no Hospital de Emergencia e Trauma de João Pessoa, através da Cruz Vermelha.

Entenda como foi a votação na ALPB:

Sob protestos da oposição, a bancada do Governo na Assembleia Legislativa da Paraíba conseguiu aprovar, na tarde desta quarta-feira (05), a Medida Provisória nº 178/2011, do Governo do Estado, que trata da Gestão Compactuada e que versa sobre a qualificação de Organizações Sociais (OS), a exemplo do que já acontece no Hospital de Emergência e Trauma da Capital, através da pactuação com a Cruz Vermelha.

Mesmo tendo recebido o parecer contrário da Comissão de Constituição, Redação e Justiça da Casa, a Medida Provisória foi aprovada em plenário com 19 votos, ou seja, a maioria simples, contra 14 votos da oposição. Ainda na votação foi registrada apenas uma abstenção, que partiu do deputado Trocolli Junior (PSD).

Durante toda a votação, populares se aglomeraram nas galerias da Assembleia com placas e gritos de ordem ‘Fora Cruz Vermelha’. No momento em que a matéria foi colocada em votação, os deputados da bancada de oposição decidiram se retirar do plenário e admitiram ir à justiça para tentar derrubar a MP. Os deputados Caio Roberto (PR) e Toinho do Sopão (PTN) foram os únicos integrantes da oposição a permanecer em plenário e apoiar a MP do executivo.

  
Com três opções, PSC fará prévias para decidir candidato a prefeito em JP.
São poucas as legendas em João Pessoa que terá três opções para lançar para prefeito em 2012. O PSC tem. A legenda, comandada pelo ex-deputado federal Marcondes Gadelha, não desanimou com a negativa de Manoel Júnior (PMDB) e oficializou a filiação de três nomes pra concorrer às prévias internas na Capital.
O advogado Edir Mendonça, o médico Ítalo Kumamoto e ainda o advogado José Mariz são os três pretensos candidatos a prefeito do PSC. Uma prévia interna escolherá o melhor nome.
No lugar de escolher, melhor seria juntar os três.
 

Nadja prevê golpe do PSB em Dilma e diz que PT deve se preparar para o racha lançando candidatos


Recém-filiada ao Partido dos Trabalhadores, a ex-deputada Nadja Palitot já chegou dando um alerta para o novo partido. Segundo ela, o PT deve lançar candidatos contra o projeto do PSB de João Pessoa e na Paraíba para se proteger do inevitável rompimento que acontecerá entre as duas legendas em nível nacional.
“Passei 17 anos no PSB e ainda converso com pessoas de lá. O partido pensa em lançar Eduardo Campos (governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB) presidente da República contra Dilma e, por isso, o PT já tem que criar seus escudos para o momento do rompimento”, declarou, ao defender Luciano Cartaxo como candidato a prefeito da Capital.
Nadja explicou os motivos de sua filiação ao PT. “É um partido buliçoso”, disse. E declarou que é hora da legenda romper com as barreiras e lançar candidatura própria para prefeito. Declarou ainda que tem sentido um desejo de mudança entre os pessoenses e que Cartaxo, mais do que Cícero Lucena ou José Maranhão, representa isso.
A ex-deputada concedeu entrevista ao programa Rede Verdade, da TV Arapuan, nesta sexta. Ela reafirmou disposição de disputar uma vaga na Câmara Municipal de João Pessoa e disse que o Poder Legislativo hoje “não está em sintonia com a população”. Por isso, disse ela, a renovação será grande.

Rômulo vai convidar Gervásio a filiar-se ao PSD; ´Ele foi machucado pelo PMDB´



Depois de garantir a filiação dos quatro vereadores de São Bento ligados ao deputado Gervásio Filho, o vice-governador Rômulo Gouveia vai investir no próprio parlamentar.

Segundo ele, Gervasinho, que denunciou falsificação de atas no PMDB em favor do deputado Márcio Roberto, que é se adversário em São Bento,  foi muito “machucado” neste processo.

“Assim que passarmos este processo de filiações para 2012, vamos ter tempo para abrir uma conversação com o líder que foi machucado pelo seu próprio grupo”, disse Rômulo.

Além dos quatro vereadores ligados a Gervasinho, Rômulo disse que também fechou a filiação do prefeito de São Bento, Galego de Sousa, aliado do deputado peemedebista.

Ou seja, já pavimentou o início do caminho.

Em entrevista ao blog, Gervásio descarta desfiliação imediata ao PMDB. Mas não esconde o total descontentamento com a legenda.


O PSB da Paraíba não possui cargos apenas no governo Ricardo Coutinho. Possui até no governo Eduardo Campos, de Pernambuco. É que o secretário de Comunicação de Pernambuco, Evaldo Costa, oficializou esta semana ao PSB de Parari, cidade do Cariri paraibano, terra natal do jornalista.
Professor de Jornalismo e ex-repórter, Evaldo, que vai comandar a legenda no município e ainda fazer parte da direção estadual do PSB, ainda alimenta sonho mais ousado: disputar a prefeitura da cidade onde nasceu nas eleições de 2012.
Neste caso, já é bom Campos pensar num substituto.
Atualizada às 17h38: Em contato com o blog, Evaldo Costa disse nesta sexta-feira que não procede a informação de que ele pretende disputar a prefeitura de Parari nas eleições de 2012. Costa confirmou a filiação ao PSB da cidade onde nasceu, mas que em forma de homenagem aos amigos que construiu e ainda mantém na região e na Paraíba. Ele afirmou que continuará atuando na gestão de Eduardo Campos.

PSD confirma filiação de Ariano e vai lança-lo prefeito em Mamanguape

O PSD da Paraíba fez mesmo barba, cabelo e bigode. Na reta final do prazo das filiações para quem pretende disputar as eleições do próximo ano, depois que conseguir quatro deputados estaduais, vários vereadores e prefeitos, ainda fechou filiações simbólicas com vistas às eleições de 2012. Entre elas, a do ex-deputado estadual Ariano Fernandes, que entra na legenda para disputar a prefeitura de Mamanguape no próximo ano.
 
 
Ex-auxiliar do Maranhão III e amigo do senador Cícero Lucena, Ariano Fernandes preferiu armar barraca no terreno do vice-governador. A quem vai pedir sombra a partir de agora.
 
 

Prefeito de São Bento rompe com Maranhão e anuncia desfiliação

fotoO prefeito do município de São Bento, Galego de Sousa (PMDB), acaba de romper com o ex-governador José Targino Maranhão (PMDB) e anunciar que vai deixar o partido. A decisão de Galego de Sousa foi tomada após não ver cumprido os entendimentos acordados com o PMDB paraibano, de que os vereadores da legenda que aderissem ao governo de Ricardo Coutinho (PSB) não sofressem perseguição.
Segundo Galego de Sousa, o atual cenário político e as atitudes do PMDB não o permitem mais ficar na legenda. “Passei 30 anos ao lado, apoiando José Maranhão desde a época em que foi vice de Antônio Mariz, mas hoje não posso ter qualquer relação política com o ex-governador”, desabafou.
Outra queixa de Galego de Sousa, e também do deputado estadual Gervásio Maia (PMDB), de quem é aliado, foi a não inclusão do acordo sobre do diretório de São Bento na ata da penúltima reunião do partido, motivo que levou o deputado Gervásio Maia a abandonar o último encontro da legenda.
Galego de Sousa disse ainda que “lava as mãos quanto ao PMDB paraibano”, que sairá do partido, mas somente na reta final de seu mandato para não cair na lei da infidelidade partidária. Os vereadores “perseguidos” pelo PMDB já providenciaram desfiliação e após conversa com o vice-governador Rômulo Gouveia preparam-se para ingressar no PSD.





Freire põe água no cointreau de Cícero e diz não impor candidato de cima pra baixo
O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, deixou claro, em entrevista nesta quinta (6) a imprensa paraibana, que as composições para as eleições municipais em João Pessoa serão definidas pela direção municipal do partido e que não existe qualquer orientação da direção nacional para impor candidato ou aliança, conforme foi divulgado por fontes ligadas ao senador Cícero Lucena, presidente do PSDB paraibano.

Segundo o presidente, o PPS é uma legenda que não faz imposições de “cima para baixo”. “Quem determina é o poder local. Deixamos as nossas direções municipais livres para decidirem, afinal esta é uma decisão que afeta o município e o PPS tem uma postura de respeito às direções municipais”, declarou.

Notícia veiculada neste blog apontava para um suposto acordo entre Freire e o presidente do PSDB Nacional, Sérgio Guerra, ex-senador pernambucano, em nome da candidatura de Cícero a prefeito da Capital.

Roberto Freire acredita que está cedo para tratar do tema e lembrou que a aliança que o PPS fez com o PSDB foi válida para as eleições de José Serra e que não seria balizadora de novas composições para o pleito de 2012. “Somos uma legenda independente. Na Paraíba, fizemos aliança com o PSB nas eleições para governador e não tivemos problema algum”, destacou.

“Fiquem despreocupados que a definição de aliança com A ou B não virá da direção nacional e o momento atual é de fortalecer os diretórios municipais ou comissões provisórias”, reafirmou.


POSTADO POR TV FOCOPB.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário