O deputado estadual Trócolli Júnior entregou a carta de desfiliação do PMDB. Na manhã desta terça-feira (04.10), ao lado do vice-governador Rômulo Gouveia, ele formalizou a filiação ao PSD. Trócolli, antes da entrevista coletiva, leu uma ‘Carta ao Povo Paraibano’, onde elenca os motivos que provocaram sua saída da legenda peemedebista.
O deputado disse que deixa o PMDB, mas mantém a amizade e os respeito aos que ficaram. Também pediu que respeitassem sua decisão e lembrou que assume todos os riscos dessa mudança e legenda, por entender que não tinha o reconhecimento dentro do PMDB.
Na carta, Trócolli começa lembrando a indiferença da direção estadual do PMDB em relação à sua disposição em disputar a Prefeitura de Cabedelo no próximo ano. “Não exigi do PMDB cargos nem estrutura. Pedi apenas motivação, apoio e solidariedade para debater o futuro da cidade e o projeto do partido para Cabedelo”, afirmou.
Segundo Trócolli, apesar do seu projeto político para crescimento do partido dentro de Cabedelo, “estabeleceu-se um constrangedor silêncio sobre o tema e multiplicaram-se as evidências públicas de que o PMDB preferia outro caminho”.
O deputado elencou “a indiferença” e a “falta de solidariedade” da direção peemedebista, mesmo diante do seu comportamento de fidelidade à legenda aos longo dos últimos oito anos. “Dos seis mandatos que tive, cinco foram pelo PMDB, obtendo 35.622 votos na última eleição. Fui parlamentar de oposição durante 14 anos, inclusive rompendo com o ex-governador do PSDB, Cássio Cunha Lima, com apenas cinco meses de mandato”, relatou.

POSTADO POR GENILDO ALVES.