3 de outubro de 2011

Direção do aeroclube desmente Agra pela segunda vez.


A Direção do Aeroclube da Paraíba, por seu presidente Rômulo Rocha, desmentiu categórica e definitivamente, qualquer entendimento com o prefeito Agra para permuta de terrenos com a sede da entidade.
Depois de seguidas derrotas na justiça, Agra e seus assessores não param em sonhar com um acordo entre Aeroclube e Prefeitura da Capital. Pior ainda, utilizando generosos espaços na mídia com mentiras deslavadas e repetitivas!
A propósito, a Prefeitura da Capital não tem áreas de terras para apresentar como alternativa para a sonhada troca de terrenos, quiçá parecida com a do shopping de Mangabeira!agra4
O jornalista Giovanni Meireles, em seu prestigiado programa de rádio, deixou-se levar pela melogamania do prefeito Agra, na insistência de divulgar entendimento com o Aeroclube do Bessa, fato inocorrido e rechaçado por nota oficial da Diretoria do órgão.
Esta já é a segunda ou terceira vez que o prefeito da Capital paraibana vem concedendo seguidas entrevistas para declarar o que não houve: qualquer aproximação de Agra com a diretoria do Aeroclube, depois que o Alcaide mandou destruir, nas caladas da noite, a pista de pouso e decolagem.
Para um associado do Aeroclube-PB, "os sócios, pilotos, instrutores, alunos, e o povo em geral não esqueceram da loucura praticada por Agra destruindo a pista do nosso Aeroclube. Entidade que não cobra nada pelo uso de seus equipamentos."

A nota oficial do AEROCLUBE DA PARAIBA, distribuída para a imprensa, tem o seguinte teor:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O AEROCLUBE DA PARAÍBA, associação civil de utilidade pública federal, reconhecida pelo Decreto Lei 205/67 e pelo Código Brasileiro de Aeronáutica, com funcionamento autorizado pela União e fiscalização permanente da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC, em respeito aos sócios e à população paraibana, diante das notícias veiculadas na imprensa em geral e na internet, visando esclarecer a população de João Pessoa, aos paraibanos e as autoridades constituídas, trazendo de maneira transparente e objetiva a verdade aos fatos, esclarece que:


1- recebeu com estranheza as declarações feitas pelo edil pessoense durante entrevista a uma renomada rádio da cidade, afirmando “que as negociações para por fim ao impasse registrado entre a PMJP e os diretores do Aeroclube do Bessa avançaram muito e que o conflito de interesses deve estar resolvido em breve”;


2- os anseios de um grande Aeroclube que o prefeito de João Pessoa agora propala aos quatro ventos é dividido também por toda diretoria do Aeroclube e pelos seus associados, que sempre desejaram uma pista maior, novos hangares, nova pista de aeromodelismo, sala de embarque e etc.


3 – o grande problema nessas declarações é que até a presente data, nenhum contato oficial foi feito por qualquer representante da prefeitura com a diretoria do Aeroclube. Um acordo unilateral é como uma casamento sem noiva, NÃO EXISTE.


4 – reafirmamos que o Aeroclube não está e NUNCA esteve fechado para qualquer tipo de negociação ou relocação da nossa sede, desde que esta seja justa, digna e que respeite a nossa história e os homens de bem que fazem e fizeram nossa instituição. A verdade é que NÓS NUNCA FOMOS PROCURADOS PARA ISSO.


5- o que houve de fato a mais de 2 meses, foi uma consulta verbal e uma solicitação de um terceiro interessado, para que fôssemos conhecer uma área particular existente no litoral sul, para afirmarmos se ali comportaria tecnicamente um novo aeródromo, onde após a visita da diretoria, inclusive com engenheiros aeronáuticos, afirmamos que com pequena movimentação de terras, aquele local poderia sim receber um aeródromo. NADA MAIS DO QUE ISSO.


6- os nossos advogados estão autorizados a receber qualquer representante, seja ele da iniciativa pública ou privada, e após as análises jurídicas, estas serão submetidas ao crivo da diretoria, do conselho consultivo e por fim da Assembleia Geral, órgão máximo da nossa instituição, e se um dia for concretizada uma transação, esta será homologada pela Justiça Federal, com a presença do Ministério Público Federal e fiscalização da ANAC.


7 – por fim, lembramos que um acordo só é bom quando é bom para ambas as partes, e que estamos abertos ao diálogo, poderíamos radicalizar e ir até as últimas instâncias jurídicas o que demandaria anos, mas, ciente de que o diálogo é a melhor solução, aguardamos ações, concessões e humildade por parte dos representantes da prefeitura de João Pessoa, para sairmos das palavras e seguirmos para atos de grandeza em prol do desenvolvimento de nossa cidade.


POSTADO POR GENILDO ALVES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário