5 de outubro de 2011

Detentas de Campina Grande concluem cursos de qualificação.



Certificados foram entregues a 30 detentas.Foto: Claudio Goes/Secom-PB
Detentas do Presídio Regional de Feminino de Campina Grande receberam nesta terça-feira (4) os certificados de conclusão dos cursos de maquiagem e assistente de cabeleireiro. Os cursos integram o programa de qualificação profissional oferecido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Administração Penitenciária, em parceria com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).
Os certificados de conclusão foram entregues a 30 detentas. Segundo a diretora do presídio, Raqueline Barreto, novos cursos serão ministrados, a exemplo de capacitação em culinária, artesanato, manicure e secretariado.
“Nós queremos, com os cursos, dar qualidade de vida às detentas. Além de ocupá-las no presídio com a capacitação, elas são preparadas para o mercado de trabalho, a fim de quebrar esse ciclo de reincidência que infelizmente existe no sistema penitenciário”, disse a diretora.
Em nome das alunas, a detenta Mirna Silva agradeceu a iniciativa do Governo e da UEPB em ministrar o curso. “Quando sairmos daqui, teremos uma profissão para trabalhar e começar uma nova vida. Quando me apresentar em qualquer lugar, vou dizer que sou maquiadora. Minha família terá orgulho de mim”, comemorou.
A pró-reitora adjunta de Extensão da UEPB, Rochane Villarim, informou que a universidade tem cerca de 400 projetos. “No entanto, esse projeto de ressocialização é o que mais nos encanta, pois vai mudar a vida de todas as detentas”, disse.
De acordo com o professor Ranieri Ferreira Torres, a qualificação faz parte do projeto de extensão “Perspectiva de Ressocialização das Apenadas da Penitenciária Feminina”, com alunos de curso de graduação de Serviço Social da UEPB.
O juiz da Vara das Execuções Penais, Fernando Brasilino Leite, fez questão de participar da solenidade de entrega dos certificados. “Não tem parâmetro para calcular a importância de um projeto como este. A detenta que hoje recebe o diploma desse curso, quando sair do presídio tem uma profissão já assegurada. Será incluída na sociedade e no mercado de trabalho, pois essas profissões estão em alta”, observou.
O magistrado parabenizou o Governo do Estado, a Secretaria de Administração Penitenciária, a UEPB e demais entidades pela execução do projeto de ressocialização. “É uma ação brilhante para a população carcerária que tanto necessita nesse momento”, disse o juiz Fernando Brasilino.

POSTADO POR GENILDO ALVES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário