2 de outubro de 2011

Carro elétrico 'comunitário' chega em Paris.



O objetivo é incentivar que as pessoas deixem seus carros para utilizar os pequenos veículos, que são mais econômicos e ecológicos

A ideia dos carros elétricos segue o princípio das bicicletas de auto-serviço, as Vélib, que tiveram muito sucesso e funcionam desde 2007
A ideia dos carros elétricos segue o princípio das bicicletas de auto-serviço, as Vélib, que tiveram muito sucesso e funcionam desde 2007.
Paris recebeu neste domingo uma série de 60 carros elétricos de auto-serviço, automóveis que têm como objetivo revolucionar os hábitos de transporte dos franceses. São 10 pontos de retiradas e devolução dos pequenos veículos - batizados como  'Bluecar'- colocados à disposição do público em diferentes bairros da cidade. Ainda em fase de testes, o dispositivo deverá estar acessível no dia 5 de dezembro, com pelo menos 250 veículos. Este número deve aumentar para 2.000 até o fim de junho de 2012.
A filosofia do projeto Autolib é incentivar que as pessoas deixem seus carros para utilizar os pequenos veículos, que são mais econômicos e ecológicos. A ideia segue o princípio das bicicletas de auto-serviço, as Vélib, que tiveram muito sucesso e funcionam desde 2007.  O carro deverá ser retirado em um ponto e devolvido em qualquer outra estação.
O sistema de veículos de auto-serviço já existe em outras grandes cidades como Nova York, a inovação francesa é que os carros são totalmente elétricos. A bateria tem capacidade para fazer o Bluecar rodar por 250 km na cidade e 150 km fora dela com uma velocidade limitada em 130 km/h.
Segundo o fabricante, para que o sistema seja rentável são necessários 80.000 utilizadores. "Este serviço vai complementar os de trasporte e táxis. Nossa vontade consiste em aumentar a oferta de transporte", explicou Annick Lepetit, presidente do sindicato 'Autolib'. Os quatro primeiros anos serão decisivos para o sucesso do projeto. O presidente da fabricante, Vincent Bolloré afirma que já discute a implantação do sistema em outras cidades.
POSTADO POR GENILDO ALVES/agência France-Presse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário