26 de setembro de 2011

Idoso morre à porta de hospital em Caxias por demora no atendimento.

O aposentado Calistrato Martins, 87 anos, não resistiu à espera de 15 minutos por atendimento no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, e morreu à porta da unidade, neste domingo. Na sexta-feira, um médico do mesmo hospital registrara como morta Rosa Celestrino de Assis, 60 anos, que estava viva. Na semana passada, a unidade de saúde foi a primeira a não atender o jovem Gabriel Paulino Sales, 21, que tinha caído de uma laje no município. O episódio foi apontado pela Secretaria de Saúde como a razão da exoneração do então diretor do Hospital Getúlio Vargas, Luiz Sérgio Verbicaro, e do chefe de plantão em Caxias.
Calistrato Martins chegou ao hospital de Saracuruna levado pela filha Maria Rita do Vale. Teriam faltado macas para levá-lo para dentro do hospital. Após a morte, funcionários do hospital se ofereceram para retirar o corpo do carro da família, onde o idoso estava, mas Maria Rita não permitiu.
O hospital quis tirar o corpo dele de dentro do carro, mas a família não permitiu e preferiu aguardar a perícia.
A Secretaria Estadual da Saúde não se posicionou sobre o caso, mas informou que vai reforçar a equipe no hospital para facilitar o esclarecimento de casos como esse. Leia abaixo a íntegra do comunicado da Secretaria:
“A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que a partir desta segunda-feira, dia 26 de setembro, a superintendente de Unidades Próprias, todos os coordenadores e a Ouvidoria-Geral da SES passam a despachar direto do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes. A medida visa garantir que denúncias com relação ao atendimento de pacientes sejam esclarecidas e o melhor serviço de saúde à população seja oferecido.”

postado por Genildo Alves/Último Segundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário