19 de setembro de 2011

Delinquência juvenil está ligada a maior risco de suicídio


Segundo um novo estudo, a criminalidade pode ser um indicador de maior risco de suicídio entre os jovens.
A pesquisa sueca mostra que reincidentes com idade entre 15 e 19 anos são três vezes mais propensos a cometer suicídio do que jovens que não foram condenados por crime durante estes anos.
“A associação é nítida, mesmo quando controlamos para fatores de risco como abuso de substâncias e doença mental”, diz Emma Björkenstam, do Conselho Nacional Sueco de Saúde e Bem-Estar.
Para o estudo, os pesquisadores examinaram quase um milhão de jovens nascidos entre 1972 e 1981, e depois os seguiram até as idades de 25 a 34 anos, atentos as taxas de suicídio.
Os resultados mostraram uma correlação entre o risco de suicídio e o número de condenações, com um pico em cinco ou mais.
O grupo também incluiu jovens que receberam penas mais severas, como prisão ou liberdade condicional. O mesmo padrão foi observado entre homens e mulheres jovens, embora a taxa de suicídio foi maior para os homens.
Os pesquisadores controlaram para uma série de outras variáveis, como nível de escolaridade dos pais, recepção parental de assistência social ou pensão de invalidez, monoparentalidade, doença mental dos pais, abuso de substâncias e adoção. Uma constatação foi que o nível educacional dos pais por si só não pareceu impactar no risco de suicídio.
“Nossa descoberta mais importante é o quanto é essencial identificar e apoiar os jovens que tiveram uma recaída de volta para o crime”, conclui Emma Björkenstam.

postado por Genildo Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário