11 de agosto de 2011

Procuradores do Estado entregam representação contra juíza ao Corregedor do TJ

A juíza Maria Lúcia de Fátima, da 5ª Vara da Fazenda Pública, que mandou prender a presidente do antigo IPEP e ainda bloqueou, em decisão que passou por cima de decisão de um desembargador, R$ 8 milhões das contas do Estado, vai ter que reservar um tempinho de sua agenda para responder a uma representação junto à Corregedoria Geral do Tribunal de Justiça do Estado.
Assinada por todos os procuradores do Estado, incluindo o procurador-geral Gilberto Carneiro, a representação foi entregue na tarde desta quarta-feira ao corregedor do TJ, desembargador Nilo Ramalho.
Na peça, os procuradores acusam a juíza de “usurpar” a função de uma vara da qual não tinha atribuições apenas para julgar o caso referente à pendenga judicial entre servidores do antigo IPEP (hoje IASS) e o governo do Estado.
Os procuradores reclamam de decisões consideradas absurdas da juíza neste caso específico.
A juíza Maria Lúcia de Fátima já responde a uma representação movida pela Procuradoria Geral do Estado na gestão de José Maranhão no Conselho Nacional de Justiça.
 postado por Genildo Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário