4 de julho de 2011

Nova fase do governo RC empurra oposição para tentação de criar crises


Ao colocar em funcionamento integral o Hospital de Trauma de Campina Grande nesta terça-feira, o governador Ricardo Coutinho inicia o segundo semestre de sua gestão com inauguração. Um ato muito diferente do que foi registrado no primeiro semestre.
 
Um sinal que supõe uma nova fase do governo e que anima a equipe administrativa. É visível, em conversas com membros do governo, que o clima tem mudado internamente.
 
Os secretários e todo restante da equipe começam a conviver com os primeiro resultados do governo. Isso serve de elixir pra espantar as tensões vividas no primeiro semestre da gestão.
 
Elixir pro governo e veneno pra oposição.
 
Perceber que o governo engrena em algumas áreas força a oposição na Paraíba a ser mais seletiva, com a necessidade de abordar temas em que o governo ainda não encontrou o rumo certo, como a segurança pública, por exemplo.
 
O outro caminho, menos promissor e produtivo, é o da criatividade. Criar e inventar fatos e boatos pra pautar uma discussão que foge aos problemas reais a fim de tentar manter o mesmo clima de desastre administrativo que marcou os primeiros meses de atual gestão.
 
O risco deste caminho é o descrédito. A oposição corre o risco de esquecer problemas reais, que sempre existirão, pra mergulhar na fantástica fábrica de crises, ignorando o que eventual vier da reivindicação popular.
 
Além do mais, à medida que o governo for avançando, mais boatos, mentiras e escândalos, forjados em almoços aparentemente inocentes, terão que ser alimentados.
 
E o governo vai poder ter outro instrumento para aferir seu desempenho. Quanto mais boatos forem inventados, melhor estará a atuação do novo governo.
 
Neste estágio, o governo poderá estar, popularmente blindado, e a oposição, popularmente desacreditada.
 
Aguardemos os próximos capítulos.
 
 postado por Genildo Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário