21 de junho de 2011

Santiago, paga logo!


A palavra foi dada ao homem para que ela esconda suas verdadeiras intenções. Sempre repito tal máxima porque acho que ela é a que mais se encaixa no jogo político, tema recorrente em minhas colunas.
 
Ora, é tão bonito ver o debate sobre a permuta de terrenos entre o governo do Estado e o dono do Shopping, Roberto Santiago, ser pautada pela discussão da moralidade ou da falta de legalidade na operação.
 
Toda vez que o milionário Santiago está em jogo é assim: ninguém quer sair “liso” da discussão. Não todos, mas deputados, oposicionistas e governistas, empresários e quase toda sorte de gente que se envolve no debate querem sair menos pobre do que entraram.
 
Os que ficam em silêncio, incluindo os oposicionistas, é porque já foram contemplados.
 
Entrar na luta apresentando o motivo do “quando a farinha é muita, meu pirão em dobro” não é nada nobre. Por que não revesti-la de um debate sobre moralidade, então?
 
Façam-me o favor. O governo quer construir novos equipamentos de segurança e Santiago um empreendimento que vai gerar 2,5 mil empregos e ainda valorizar ainda mais quem mora em Mangabeira. Será que quem mora em Mangabeira não merece?
 
Se há alguma ilegalidade na transação que se acione o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público pra tirar a limpo essa história. No mérito, não há o que discutir.
 
Mas ficar brincando com a inteligência do povo não dá.
 
Fizeram a mesma coisa com a instalação do Moinho Dias. Acentuaram a ilegalidade pra assegurar “biscoitinho” extra do grupo. Resultado: construíram silos quase que dentro do mar, quando a Constituição do Estado, em condições normais, não permitiria.
 
Duvido que se a mesma permuta fosse com a Polícia Federal se algum deputado, oposicionista ou governista, teria a mesma inspiração moralista pra condená-la.
 
Pra fechar, uma dica: Santiago, paga logo que esse assunto se resolve. O que é eventualmente ilegal vai se transformar na operação mais lícita do mundo.
 
 Postado por Genildo Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário