16 de junho de 2011

Adolescentes do sexo masculino têm mais chance de ter doenças cardiovasculares


Além disso, estudo mostra que o risco é maior entre os jovens mais pobres.

Um estudo conduzido pelo professor da Universidade Federal da Paraíba José Cazuza de Farias Júnior, em parceira com outros pesquisadores, avaliou a prevalência de fatores de risco cardiovascular em adolescentes. Níveis insuficientes de atividade física, hábitos alimentares inadequados, pressão arterial elevada, etilismo (consumo de álcool), excesso de peso corporal e tabagismo foram os itens investigados.

“Embora as manifestações clínicas das doenças cardiovasculares (DCV) sejam normalmente observadas na fase adulta da vida, há fortes evidências de que essas doenças podem ter início na infância e na adolescência. Além disso, a presença de fatores de risco nessa fase da vida, principalmente de forma simultânea (coocorrência), tem se configurado como um forte preditor de DCV na idade adulta”, explicam os pesquisadores em um artigo publicado em março deste ano na Revista Brasileira de Epidemiologia.

A investigação foi realizada com 782 adolescentes, de 14 a 17 anos, alunos do ensino médio no município de João Pessoa (PB). Os fatores de risco mais prevalentes foram: níveis insuficientes de atividade física (59,5%) e hábitos alimentares inadequados (49,5%).

Além disso, os resultados mostram que “pressão arterial elevada, etilismo e excesso de peso” foram mais prevalentes no sexo masculino, enquanto níveis insuficientes de atividade física predominaram no sexo feminino. Cerca de 10% dos adolescentes não apresentaram nenhum fator de risco, e 51,4% apresentaram dois ou mais fatores de forma simultânea.

“Os adolescentes do sexo masculino e aqueles que pertenciam aos estratos econômicos mais pobres tiveram maiores chances de apresentar um ou mais fatores de risco biológicos”, ressaltam os autores.

Da redação por Tiago Nunes com informações da Agência Notisa

Nenhum comentário:

Postar um comentário