29 de maio de 2011

Patrimônio de deputados apresenta alta de 2006 a 2010; deputado João Henrique é o campeão





Nesse momento em que todo o país se debruça sobre a evolução patrimonial de um integrante do Governo Dilma Rousseff (PT), está na hora da Paraíba aproveitar para olhar para seu próprio “umbigo” e ver como andam as coisas aqui dentro das fronteiras.

Em números arredondados, especialmente quando comparamos as declarações de bens dos deputados estaduais feitas em 2006 e 2010, percebemos que houve alguns exageros.

Podem ser detectados patrimônios que valorizaram em até R$ 1 milhão. Outros parlamentares chegaram aumentar em cinco vezes seus dotes. Vale salientar que o salário de cada membro da Assembleia Legislativa é atualmente de R$ 20 mil.

Dos 36 deputados estaduais que estão atuando na ALPB, 22 apresentaram declaração de bens não apenas nas eleições de 2010, mas também na de 2006.

Desses, apenas o presidente da Casa de Epitácio, deputado Ricardo Marcelo (PSDB), não entrou na contabilidade, pois mesmo tendo elencado os bens junto à Justiça Eleitoral, os valores unitários apareciam zerados no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O campeão

Levando em consideração a evolução patrimonial desses últimos quatro anos, quem mais cresceu em cifras foi João Henrique (DEM), que evoluiu mais de R$ 1 milhão em seus bens.

O democrata disse no ano passado à Justiça Eleitoral que possuía R$ 1.851.920,43. O valor é o somatório de dois apartamentos, sete casas, uma fazenda, linhas telefônicas, ações, quotas, dinheiro em espécie e em conta corrente e investimentos financeiros. Nas eleições de 2006 o patrimônio anunciado por ele foi de R$ 742.963,89.

Aqueles que diminuíram seu patrimônio, comparando as cifras apresentadas à Justiça Eleitoral em 2006 e 2010, foram Aníbal Marcolino (PSL), João Gonçalves (PSDB), Antônio Mineral (PSDB), Tião Gomes (PSL), Vituriano Abreu (PSC) e Wilson Braga (PMDB).



Jornal da Paraíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário