18 de maio de 2011

ESCÂNDALO: mãe de parlamentar do PT é acusada de receber Bolsa Família ilegalmente

A mãe do vereador Aurivânio, do PT de Picuí, na região do Seridó paraibano, está sendo acusada de receber o Bolsa Família. A denúncia partiu dos próprios moradores da cidade.

De acordo com a denúncia, a mãe dele, que não teve o nome revelado, recebeu o pagamento por alguns meses no ano de 2005. Na época, ela era beneficiada, mas Aurivânio já era vereador.

O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda com condicionalidades, que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza. O Programa integra a Fome Zero que tem como objetivo assegurar o direito humano à alimentação adequada, promovendo a segurança alimentar e nutricional e contribuindo para a conquista da cidadania pela população mais vulnerável à fome.

O Bolsa Família atende mais de 12 milhões de famílias em todo território nacional. A depender da renda familiar por pessoa (limitada a R$ 140), do número e da idade dos filhos, o valor do benefício recebido pela família pode variar entre R$ 32 a R$ 242.

O vereador Itinho fez um pronunciamento na Tribuna da Câmara Municipal de Picuí, na última segunda-feira (16), pedindo explicações ao vereador sobre o por quê a mãe dele teria recebido dinheiro do programa.

Agora em 2011, o salário de um vereador na cidade chega a R$ 3.000. Na época, o valor era muito inferior, mas bem maior do que o permitido por lei. 'Na época, ele morava com a mãe e a renda per capita da família era bem maior que a permitida para receber o programa. Ele deve explicações a população.' disse Itinho.


Da Redação com PB Agora

Um comentário:

  1. Não fui procurado por esse portal para poder oferecer a minha versão sobre o fato. Mesmo assim posso tecer algumas linhas na página de poste, parece que a matéria não tem autor, é bom termos cuidado em publicar release sem as informações corretas, para depois não dar errado judicialmente.
    Trata-se de uma matéria sem fundamento! É sim para mudar o foco da cassação do prefeito de Picuí. Reitero as palavras de Manassés. Isso não abala a ação parlamentar que conduzimos nesses 7 anos.
    O vereador do PSDB não teve a coragem de questionar o fato como foi dito na matéria. Esse cidadão tivesse a coragem de tratar do assunto com seriedade, isso não é coisa de um cristão como ele diz que é. A briga é extremamente desigual, um vereador que por traz está uma estrutura administrativa contra uma mulher que vive da agricultura familiar e que sempre vendeu dindin para sobreviver!
    Assim que fui eleito vereador solicitei a minha mãe que a mesma fosse até a prefeitura pedir o seu desligamento do programa em questão, o fato é que os i(RR)esponsáveis pela pasta agiram de má fé, demoram muito para fazer o desligamento, até insinuaram que poderia receber, pois a mesma se enquadraria, uma espécie de cilada uma pessoa que tem no máximo o segundo ano primário.
    O prefeito já responde uma ação criminal por ter espalhado o bato que eu recebia o bolsa família, e agora tenho o prazer de acionar novamente contra outros covordes, lacaios como fala meu amigo Manassés. Quem quiser conferir, basta acessar o site do TJPB no 2º grau, o número da ação é 027.2011.000.411-9.
    Falta de coragem e ética, sobretudo, desse parlamentar que nesse espaço prefiro não chamá-lo de colega!
    A atitude é leviana, procurem fatos políticos e não pessoais! Sou pai de família, não morava com minha mãe com ele falou na matéria. Estou sendo vítima de uma campanha insana, motivada pelo ódio de alguns aliados do prefeito cassado.
    Mediocridade da parte de um vereador em tentar jogar na imprensa acusações mal intencionada. A comunidade piacuiense conhece minha história, não aprova esse comportamento imoral de alguns poucos aliados do cassado!
    É bom lembrar que o criminoso não sou o criminoso da história, quero lembra também que defende criminoso, criminoso é!

    ResponderExcluir