20 de maio de 2011

Banco do Japão mantém taxas de juros virtualmente em zero

O Banco do Japão (BOJ, o banco central do país) manteve nesta sexta-feira as taxas de juros virtualmente em zero, com a intenção de reativar a economia japonesa, que no primeiro trimestre do ano entrou em recessão.
A decisão de manter os índices foi tomada por unanimidade pelo comitê monetário do BOJ ao término de uma reunião de dois dias realizada em Tóquio.
No Japão, as taxas de juros estão entre 0% e 0,1% desde o início de outubro, após uma decisão inesperada da entidade financeira japonesa para lutar contra a deflação e impulsionar o crescimento econômico.
Além disso, o BOJ decidiu manter um fundo de compra de ativos de dez trilhões de ienes (86,6 bilhões de euros) para estimular a economia depois do impacto do terremoto de 11 de março no norte do Japão.
Em seu comunicado, a entidade emissora assinalou que a economia japonesa enfrenta um alto grau de "incerteza" por consequência do terremoto e do tsunami de 11 de março e que por enquanto seguirá sofrendo pressões, sobretudo na produção.
"No entanto, devido a um aumento das exportações que reflete uma melhora das economias do exterior", se espera que o Japão retorne a um ritmo de recuperação moderado a partir da segunda metade do ano fiscal de 2011, que conclui em março de 2012, indicou o BOJ.
Por outro lado, a instituição monetária alertou do risco de inflação pelo aumento do preço do petróleo e disse que seguirá vigilante quanto às perspectivas da atividade econômica e aos preços no Japão.
Nesta quinta-feira, o Governo japonês confirmou que a terceira maior economia do mundo entrou em recessão entre janeiro e março, após acumular dois trimestres consecutivos de crescimento negativo.
Entre janeiro e março, o Produto Interno Bruto (PIB) do Japão sofreu contração de 3,7% na comparação anualizada, e registrou queda de 0,9% com relação ao trimestre anterior, em parte pelo impacto do tsunami de 11 de março

Nenhum comentário:

Postar um comentário